Clero diocesano percorre 07Km em caminhada penitencial

A última quarta-feira, 02, amanheceu com um ar diferente para os sacerdotes da Diocese de São João del-Rei. Com espírito de fé e disposição esportiva, os sacerdotes saíram em caminhada penitencial, refletindo as quinze estações da Via-Sacra, pelo caminho histórico da Estrada Real, que liga as cidades de Santa Cruz de Minas e Tiradentes.

fotografia 13A ideia inovadora partiu do próprio bispo, Dom Célio de Oliveira Goulart, após a realização de um evento similar em Leopoldina, quando era bispo na região no início do ano dois mil. “Propus essa ideia a nosso clero que acolheu muito bem. Fico feliz com essa acolhida e, principalmente, com a realização do evento. O trajeto foi muito bom, tranquilo, além de ser uma boa experiência para este tempo da quaresma, refletir as estações da Via Sacra”, explicou.

fotografia 09Nada de estola, nem batina. Os sacerdotes, que iniciaram o percurso na Matriz de São Sebastião, percorreram quase 07Km. Calça larga e tênis foram os paramentos do dia. Sem dúvida, uma caminhada de fé e de grande benefício para a saúde, foi o que destacou o Vigário Geral da Diocese, Padre Dirceu Medeiros. Adepto a práticas esportivas e a uma vida saudável, o sacerdote falou da importância de cuidar, não apenas do lado espiritual, mas da saúde e do corpo físico.  “O sentido primeiro (da caminhada) é o espiritual, de tomarmos consciência que somos o povo de Deus a caminho do Céu. 02Mas Jesus também veio para nos dar vida, e vida em abundância, como está escrito em João. Então, a saúde mental, física e psicológica também são práticas importantes, e devem ser preservadas. A Igreja vem nos ajudar nisso também. Foi muito válido está experiência, além de apreciar esse cenário exuberante”, destacou o padre, que é pároco na Paróquia de Prados.

Assim como padre Dirceu, muitos outros sacerdotes aprovaram a caminhada que auxiliou fotografia 12no revigoramento da fé e no fortalecimento da saúde. Dom Waldemar que o diga. Aos 81 anos, o bispo emérito de São João del-Rei mostrou que está em forma e utilizou o evento como uma prática de penitência para este Ano da Misericórdia. “Queriam me trazer de carro, mas neguei, preferi caminhar, vir a pé com os padres, rezar com eles. Quis fazer minha penitência também, não só a quaresmal, mas a do Jubileu da Misericórdia. Assim eu peço a misericórdia para mim, mais uma vez, para que eu possa melhor mais ainda”.

fotografia 03Após todo o percurso, os sacerdotes se dirigiram para o Santuário da Santíssima Trindade, templo de grande visitação em Tiradentes. No local, os padres celebraram a Santa Missa e realizaram o sacramento da confissão. Para Padre Ademir, um momento belo para o clero, que fica de exemplo para todos os cristãos. “A igreja fala do ano da misericórdia. Ela prega, fala das indigências. O que fizemos hoje é um testemunho do que falamos, do que a igreja ensina. Ir aos santuários, fazer uma caminhada penitencial, ir a missa, se confessar. Se os padres e os bispos fizeram, então todos deveriam fazer”, enfatizou o sacerdote.

 

Durante o trajeto da Estrada Real, os sacerdotes realizaram “paradas” para refletir as Estações da Via Sacra.
Na chegada ao Santuário da Santíssima Trindade, em Tiradentes, uma missa foi presidida pelo bispo, Dom Célio, e concelebrada por Dom Waldemar, bispo emérito, e demais padres.
Durante a celebração foi destinado um momento para o Sacramento da Confissão. Concluindo, assim, a caminhada penitencial.

 

Na ocasião, os sacerdotes se uniram em dupla para a realização do sacramento do arrependimento e perdão.

Fotografias de Lucas Silveira

COMPARTILHAR
22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).