28º Domingo do Tempo Comum

Ev Mt 22, 1-14

“Ide até as encruzilhadas dos caminhos e convidai para a festa todos os que encontrardes” (Mt 22, 9).

A refeição em uma festa é momento importante: mostra a generosidade e a acolhida de quem a prepara, como também a alegria daqueles que são convidados, pois se sentem amigos e privilegiados por terem sido escolhidos. Nas Sagradas Escrituras observa-se como que Deus se preocupa com o Povo de Israel, sempre cuidando para que não falte ao seu Povo o alimento necessário, É a descrição do Profetas Isaias  na primeira leitura.

No Evangelho o Senhor que convida para a festa do casamento do filho é o próprio Deus, que entregando seu Filho Jesus em aliança com o Povo de Deus, quer marcar este acontecimento como se fosse uma grande festa. Convidou o povo de Israel, que recusou participar deste momento. As pessoas fizeram pouco caso do convite. Maltrataram e até mataram aqueles que foram fazer o convite. Outros são convidados, mostrando assim a universalidade do Reino de Deus: o Filho de Deus veio para todos os povos. Esta dimensão de uma Igreja aberta a todos os povos é que marca nossa Igreja no correr de sua história. Estando no mês missionário e diante do tema proposto: “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”, sentimos que é esta a nossa tarefa: participar do banquete com Jesus e convidar outros a terem esta alegria.

A Palavra de Deus nos faz sair do nosso comodismo. Às vezes não sabemos aproveitar da riqueza que a Igreja, em seus diversos momentos celebrativos, como também pela participação em Pastorais e Movimentos, prepara para o fortalecimento de nossa fé e o engajamento em trabalhos missionários para que muitos, vendo nosso empenho e testemunho, possam conhecer melhor Jesus e a Igreja. Não podemos desonrar a veste recebida no Batismo: uma fé madura e comprometida com Jesus Cristo.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano

COMPARTILHAR
Departamento de comunicação