2º Domingo da Páscoa

Ev Jo 20, 19-31

“Tomé respondeu: ‘Meu Senhor e meu Deus!’ Jesus lhe disse: ‘Acreditaste porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!” (Jo 20, 28-29).

Após sua Ressurreição o Senhor Jesus se manifestou diversas vezes a seus discípulos, seja quando estavam reunidos em comunidade na casa onde realizaram a ceia pascal com Jesus, seja a dois discípulos no Caminho para Emaús. Também se manifestou à Maria Madalena no jardim ao lado da sepultura onde depositaram seu corpo após a morte na cruz. A Igreja se formou a partir destes testemunhos, relatados nas narrativas dos Evangelhos.

A passagem do evangelho de hoje nos relata um momento muito especial na vida dos discípulos. Em uma destas aparições o apóstolo Tomé não se encontrava junto aos discípulos e manifesta sua incredulidade diante da fala alegre dos seus companheiros, que proclamaram: “Vimos o Senhor!” Após oito dias novamente Jesus Ressuscitado se faz presente entre eles e logo questiona a Tomé pela sua falta de fé. Então sim, ele O vê com os sinais de sua crucifixão e também manifesta sua fé, dizendo: “Meu Senhor e meu Deus”.

Jesus, o Ressuscitado, aparece como sinal do amor, mostra as chagas, isto é, o coração aberto. Com tal gesto, o Cristo nos chama a sair do nosso coração trancado, fechado para o esposo, esposa, filhos, amigos, irmãos. O medo de viver não pode levar o cristão ao isolamento. Quem tem medo não ama, não tem fé, não tem alegria de viver. E a única realidade que vence o medo é o amor de Cristo. O Ressuscitado ao aparecer aos discípulos e a todos nós diz: “A paz esteja convosco”. Uma vez inundados da Vida Eterna, temos um coração cheio de paz e amor e, assim, poderemos sair do fechamento interior e ir pelo mundo sendo causa de Ressurreição para os irmãos.

“Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”

Texto: Dom Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano

Atualização: Padre Vinícius Idefonso Campos

COMPARTILHAR
Departamento de comunicação