2º Domingo da Quaresma

Mc 9,2-10

 “Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!”

Porque a Igreja coloca este trecho do Evangelho sobre Jesus com seu rosto brilhante como o sol e suas vestes tão brancas que nenhuma máquina de lavar ultramoderna conseguiria, logo no domingo seguinte após apresentar Jesus no deserto em penitência?

Para nos mostrar que quaresma é tempo de penitência sim, mas não de tristeza; é tempo de jejum sim, mas não de cara amarrada, é tempo de abstinência sim, mas não de mau humor. Estamos acostumados a enxergar a quaresma como período triste, cinzento e mortificante. Porém não pode existir tristeza em seguir o ensinamento de Deus, sendo nosso Deus plenitude de alegria, beleza e amor.

Há pouco tempo Papa Francisco refletiu a quaresma assim: “É um compromisso alegre e sério para nos despojarmos do nosso egoísmo, do nosso homem velho, e renovarmo-nos segundo a graça do nosso Batismo. Só Deus nos pode dar a verdadeira felicidade: é inútil perder nosso tempo a procurá-la noutros lugares, nas riquezas, nos prazeres, no poder, na carreira…”. Quero meditar com todos os leitores sobre dois pontos do Evangelho sobre a transfiguração de Jesus: A BELEZA e O MEDO!

Pela 1ª vez os apóstolos veem Jesus na sua beleza, olham além e descobrem, fascinados, o esplendor de Deus. Ficam encantados com a beleza de seu rosto e de suas vestes. Sem beleza não podemos viver. Sabemos disso. Beleza da natureza, beleza das artes, beleza dos gestos e afetos dos amigos, beleza da vida, beleza das crianças em especial. A beleza nos leva de algum modo a Deus. A nós compete olhar em volta e descobrir a beleza de Deus afim de chegarmos a ver somente Jesus na vida e juntos a Ele.

Alguns teólogos refletiram que a beleza converterá o mundo! Nós, frágeis discípulos, somos levados, na beleza das relações humanas e na verdade a viver e a levar aos nossos irmãos, a esperança de uma Presença que ainda se revelará na sua totalidade.

O entusiasmo de Pedro, a sua exclamação maravilhada: ” Que Belo estarmos aqui!” (Algumas traduções escrevem: Que bom! Mas o texto original diz : “Que Belo”) Faz-nos compreender que a fé para ser pão que nutre, para ser vigorosa, deve brotar de uma paixão de namoro, de um “Que Belo!” Gritado a plenos pulmões. Ter fé é descobrir, juntamente com Pedro, a beleza de viver. Saber que toda vida adquire sentido, tudo é iluminado: o mal e a escuridão não vencerão e o fim da nossa história será positivo.

O Evangelho da Transfiguração coloca energia, doa asas à nossa esperança: o mal e a escuridão não vencerão, o nosso destino final não é a derrota, o caos. Pois Deus colocou sua mão em nossa terra e não voltará atrás. Porque será que Jesus não respondeu à proposta de Pedro de fazer 3 tendas (para Jesus,para Moisés e para Elias) e ficarem lá no alto do morro? Ao contrário,escutaram uma voz dizendo para “ escutar Jesus”? Porque o lugar dos apóstolos e de qualquer discípulo-missionário até hoje é descer do morro da meditação e da oração, e ir para a rua levando o instrumento para a libertação da luz que é escutar a sua Palavra.

“Levantai-vos, não tenhais medo’”; NÃO tenhais medo de escutar-me e de seguir só a mim! Escutar Jesus em sua Palavra, em seu evangelho, nas pessoas que com seu exemplo espalham o bem, a verdade, o amor, porque souberam escutar Jesus.

Com tantos recursos técnicos e científicos para resolver os problemas, vivemos mais inseguros e ameaça-dos do que em épocas anteriores. Porque escutamos de tanta gente esta estranha frase: “Tudo me dá medo”? Medos concretos da doença, da velhice, da morte, do fracasso, da solidão. Claro que há causas múltiplas, mas não é difícil perceber a existência vazia de conteúdo, dispersa e desorientada.

Poucas palavras de Jesus se repetem nos evangelhos com insistência como estas: Não tenhais medo! Confiai! Não se perturbe o vosso coração! Não sejais covardes! Levantai-vos, não tenhais medo… Este é meu filho amado: escutai-O”. Escutar Jesus e sua Palavra pode curar o ser humano em suas raízes mais profundas. Escutá-lo vai nos ajudar a sair do comodismo que nos afasta do serviço aos mais necessitados. É o próprio Jesus que pode nos libertar de nossos temores.

Escutando-O cada vez mais e melhor Ele nos ajudará a ver e a sentir a beleza da vida.Que nosso coração e nossa vida aprendam a vivenciar mais e mais a alegria dessa quaresma!

22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).