2º Domingo do Advento

Ev Mc ,1 1-8

“Está escrito no livro do profeta Isaías: Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho” (Mc 1, 2).

A espera do Messias foi aguardada com grande expectativa pelo povo de Israel. Pela revelação de Deus aos profetas e outras personagens significativas da história da Salvação, evidenciava-se a participação humana no processo da Redenção a ser efetuada pelo Messias. Neste domingo destaca-se a pessoa de João Batista. Ele vem antes, na missão de precursor para apontar o caminho para se chegar ao Salvador. Caminho que pede a conversão.

Ao se completar o tempo messiânico, João convida as pessoas a se expressarem por gestos e sinais a postura da conversão e a esperança dos tempos novos. Nesses tempos novos, que para nós já começaram, o convite à conversão com gestos significativos, sacramentais, como o batismo e a penitência, mas também com gestos que demonstrem o tempo novo que deve acontecer a cada instante na experiência eclesial: a partilha, a solidariedade, o empenho na vivência da fé.

No tempo do Advento temos oportunidade de rever atitudes e posturas pessoais e do contexto em que estamos inseridos. É necessário coragem para rompermos com muitas amarras que em nossos contextos de vida familiar ou de experiência eclesial, nos prendem ao comodismo e ao nosso bem-estar e assim pode acontecer que percamos a grande oportunidade de um encontro pessoal com o Senhor Jesus neste Natal. É o que a Igreja nos tem pedido: conversão pessoal! Na semana anterior, em que também festejamos a Solenidade da Imaculada Conceição, proclamamos a Virgem Maria, a mulher cheia de graça e  escolhida para ser a Mãe do Salvador e nossa Mãe. Que ela nos leve ao seu Filho Jesus.

Célio de Olvieira Goulart – Bispo Diocesano

COMPARTILHAR
Departamento de comunicação