5º Domingo da Páscoa

Ev Jo 14, 1-12

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim” (Jo 14, 6).

O Senhor Ressuscitado se apresenta aos seus discípulos como o caminho, a verdade e a vida, dando-lhes a segurança e a certeza de que não caminham sozinhos em busca de Deus, mas Ele é o caminho! Ao mesmo tempo Jesus se revela como a verdade capaz de revelar aos discípulos a segurança no que acreditar, pois somente Ele tem palavras de vida eterna. E quando se caminha junto ao Senhor e iluminado por suas verdades, o fiel seguidor também encontra a vida plena em Deus. Jesus caminha a nossa frente, pois, assim como afirma João em seu evangelho, quem confia em Jesus encontra o caminho para a vida e para Deus. Esse caminho nem sempre é agradável, pois não podemos colocar em primeiro lugar as nossas próprias intenções, mas sim os ensinamentos de Jesus.

Sendo Cristo o único caminho que leva à casa do Pai, cabe à Igreja, constituída por seus seguidores, participar hoje do mesmo mistério. É dever de a Igreja mostrar caminhos que levem ao Pai àqueles que estão à procura de caminhos certos, de verdades definitivas e da vida duradoura. A Igreja será assim uma referência a apontar como se chegar à pedra fundamental, como diz Pedro na segunda leitura, porque pelo batismo somos nós também pedras, formando o edifício espiritual e um sacerdócio santo.

O tempo pascal é o momento oportuno para fortalecermos nosso testemunho de uma vida coerente com aquilo que professamos: cremos no Cristo Ressuscitado, no Cristo vivo. Ele se manifesta vivo em nossas celebrações litúrgicas com muita evidência, mas também deverá ser anunciado pelo nosso testemunho de vida junto às Pastorais estruturadas em nossas Comunidades e em novas posturas nos mais diversos ambientes em que nós, cristãos, devemos atuar. A força do Senhor é muito grande, nós como cristãos, não podemos enfraquecê-la. Pois, Jesus afirma ser capaz de saciar nosso anseio por vida e vigor, pois, como disse Bento XVI, “O homem precisa somente de uma coisa, onde tudo está contido: Deus. E só assim poderemos ver que por trás dos diversos discursos está em última instância isto: Jesus dá-nos a ‘vida’, porque Ele nos dá Deus”.

Texto: Dom Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano

Atualização: Padre Vinícius Idefonso Campos