Arquivo em SJDR preserva documentos da Igreja desde o início da história da Diocese

Foto: Lucas Silveira

Quando nascemos já encontramos, quer na nossa família, quer na sociedade onde vivemos, um passado materializado em papéis. DSC07134Documentos diversos, seja certidão de nascimento, de batismo, retratos de nossos avós. Enfim, o mesmo ocorre com a Igreja. Papéis são acumulados, fotografias são guardadas, tudo a contar algo do passado, no caso, da história da Diocese de São João del-Rei. Um acervo grande, que está aberto para pesquisas e, até mesmo visitas.

Localizado na Praça Frei Orlando, na sede da Cúria Diocesana, o Arquivo abriga materiais que contam a trajetória da Igreja católica em 25 cidades da região. “A importância da preservação esta no fato de que o acervo documental fala, esclarece, indica, prova, comprova, revela. Os arquivos eclesiásticos contam a história da Igreja e de seu povo. O arquivo é uma Pastoral”, explica Cláudio Guimarães, responsável pelo arquivo da Diocese.

DSC07143Resgatar o passado é hoje obrigação de todo cidadão, e também um preceito constitucional do Estado, pois cada um de nós tem o direito a ter acesso à sua história, à sua memória. “O nosso arquivo é aberto à pesquisa e a visitação desde que haja um agendamento prévio e observância das normas de uso e pesquisa”, explica Cláudio.

Segundo Heloisa Liberalli Bellotto, referência na área da arquivística e da diplomática, o arquivo é um órgão receptor (recolhe naturalmente o que produz a administração pública ou privada à qual serve) e, em seu acervo, reúnem os conjuntos documentais segundo sua origem e função, isto é, suas divisões correspondem ao organograma da respectiva administração. Os objetivos primários do arquivo são jurídicos, funcionais e administrativos e os fins secundários serão culturais e de pesquisa histórica.

DSC07140 “Temos o arquivo corrente, que corresponde ao material que é consultado no cotidiano, e o intermediário, que é aquele que é consultado com pouca frequência. Existe também o arquivo histórico, que a igreja considera depois de 65 anos, além de todos os documentos escritos pelo bispo que são, automaticamente, de caráter histórico. Além de todos estes, temos ainda o arquivo secreto, de responsabilidade do bispo”, classifica Guimarães.

 

Visita

DSC07168O Arquivo da Diocese é aberto a qualquer pessoa que esteja interessada a conhecer um pouco da documentação da Diocese. Irmã Verônica Letícia da Sagrada Face, por exemplo, já visitou o espaço por duas veze. Para a Carmelita do Divino Coração de Jesus, o Arquivo é algo precioso que remete a vida. “É a segunda vez que venho aqui. Fico feliz com o cuidado que tem com os livros e com todo o material. É um lugar que não está morte. Tem história, tem vida”, afirma.

Acompanhada pela religiosa, a contadora Rosi Morais se deslumbrou com o acervo. Natural de Itaúna, Rosi se surpreendeu com tantas informações. “Fiquei surpresa com o cuidado que se tem com a historia da Diocese. Achei fantástico todo o acervo”.

Para agendar a visita a pessoa deve entrar em contato pelo (32)3371-1011 ou encaminhar um e-mail para [email protected]. A entrada é franca.

COMPARTILHAR
22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).