Autoestima, lucro e espírito cristão: Curso de enfeites de natal explora muito mais que a criatividade

O fim do ano chegou e com ele aproximam-se as festas natalinas. Nas ruas já se podem ver casas e prédios enfeitados, árvores de Natal, pisca-piscas, papais-noéis, guirlandas, enfim, diversos tipos de enfeites que agradam aos olhos de muita gente e, acreditem, que podem ajudar muito mais que ornamentar as festas de Natal.

Nas últimas segundas e quintas-feiras do ano dona Rosa tem um novo compromisso. De forma voluntária, a artesão se disponibiliza a dar cursos de enfeites de natal. Se ela está com tempo sobrando? Claro que não. Mas o cansaço da correria, pode ter certeza, é ofuscado pelo sorriso no rosto da artesã. Afinal, quer maior espírito de Natal que deixar parte do seu tempo para ensinar os outros e, melhor, de forma voluntária? Claro que não. Natal também é sinônimo de doação, solidariedade. “É bom oferecer o pouco que sei aos outros. Fui convidada ano passado, deu certo o curso e, novamente estamos aqui. É importante mostrarmos a beleza do natal. Não podemos deixar esse espírito morrer”, destaca a artesã.

dsc01057Sorte da Dona Iracema. Aposentada, ela abraçou a oportunidade como uma terapia. O resultado, refletiu até mesmo em sua autoestima. “Não tem coisa melhor que ver o trabalho pronto, finalizado. Ver que ainda tenho capacidade de fazer as coisas, mesmo nessa idade”, explica a senhora de 66 anos.

Além de decorar ambientes e fortalecer o espírito natalino estes artesanatos podem servir como uma nova forma de ganhar dinheiro no fim do ano. Um Papai Noel, confeccionado de tecido e lã (foto acima), pode ser vendido por R$ 50,00 nas bancas da cidade. Uma ação já comum ao trabalho social realizado na Paróquia Senhor Bom Jesus de Matosinhos. “Isso me dá prazer, alegria e me ajuda financeiramente. Mesmo sabendo que o artesão não é tão valorizado, fico feliz em ver o trabalho pronto. Mesmo que não venda, que fique para os meus filhos, o prazer é ver o meu trabalho ai, na minha frente”, relata a artesã Ana Luíza que aderiu o curso para aprender novos produtos.

Costurar lucros, bordar sonhos, decorar superações. Sem dúvida, o curso chega ao término este ano, mas o aprendizado, com certeza, ficará para muitos natais.

COMPARTILHAR
22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).