Emoção e aplausos marcam despedida de Dom Célio em São João del-Rei

Foi com muita emoção, aplausos e palavras de admiração e carinho que familiares, amigos, fiéis católicos e religiosos se despediram na manhã de sábado, 20, do bispo de São João del-Rei, Dom Célio de Oliveira Goulart. Aos 73 anos, o religioso atuou na diocese durante sete anos, colocando em pratica, sempre, o carisma franciscano e seu lema episcopal “A Cruz é a força de Deus”.

A Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar esteve repleta para a Celebração de Exéquias (Missa de Corpo Presente). Dezenas de padres, religiosos, bispos e arcebispos se fizeram presente na cerimônia de despedida. Presidida pelo arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, a celebração foi marcada por lembranças e homenagens.

Segundo Dom José Eudes, bispo de Leopoldina, o sentimento é de agradecimento. “Tenho muito que agradecer ao Dom Célio pelo apoio e presença na minha vida episcopal. Hoje, realmente, fica a saudade e a lembrança deste grande irmão”, destaca.

Para Dom Darci José Nicioli, arcebispo de Diamantina, humildade pode ser a palavra de definição para Dom Célio. “São Francisco inspirou toda a sua vida. Sem dúvida um homem humilde, completamente entregue a sua missão. E ela não acabou. A missão agora é ser nosso intercessor no céu”, explica.

Ao final da missa, o vigário geral da Diocese, padre Dirceu Medeiros, conduziu o momento de homenagem. Emocionado, o sacerdote não consegui prosseguir com as palavras. “Dom Célio deixa para nós um legado de amor, humildade e humanidade. Um pastor próximo do povo. Nesses últimos tempos de agonia e sofrimento ele nos deixou o exemplo de paciência na dor, de serenidade, movidas pela fé. Agora é procurar guardar na memória herança que ele deixa para nós.

Terminada a celebração, o corpo foi carregado em procissão para a parte externa da catedral. Em meio a lágrimas, aplausos e emoções cobriram todo o cortejo. “O sentimento é de pesar e de oração. Temos que pedir a Deus para acolher-lo e, também, nos ensinar a não ter medo dos desígnios de Deus neste momento de partida”, explica o bispo emérito, Dom Waldemar Chaves de Araújo.

A urna foi depositada no caminhão do Corpo de Bombeiros, iniciando o translado do corpo pela cidade história. No trajeto, homenagens dos moradores da cidade.

Dom Célio de Oliveira Goulart tinha 73 anos e vinha lutando, desde dezembro de 2016, contra um câncer de pâncreas. O religioso tomou posse como bispo da Diocese de São João del-Rei no dia 17 de julho de 2010.

O sepultamento ocorrerá no domingo, 21, após a missa das 10 horas, na Matriz de Sant’Ana, em Itaúna. Dom Célio será sepultado no Cemitério Central, no jazigo da família, junto de seus pais.

Fotografias de Lucas Silveira

Imagens de vídeo de Léo Júnior Oliveira

23 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).