Fé e emoção marcam festejos em Nazareno

Nazareno amanheceu em festa na última sexta-feira, 08, data em que a Igreja celebra a Natividade de Nossa Senhora. Marcando o ápice do Jubileu na cidade, a programação do dia festivo teve início às cinco horas e contou missas, confissões e procissão.

Logo cedo uma grande fila se formou aos arredores do Santuário. Eram fiéis que aglomeravam para beijar a imagem como ato de veneração. Devotos, de toda a região, aguardavam o momento para fazerem seus pedidos e agradecimentos aos pés da imagem da mãe de Jesus, assim como Maria do Rosário, que aguardava com ansiedade o momento de se aproximar da imagem. “Ela é a mãezinha que está sempre comigo. Tudo que preciso recorro a ela. Faço os pedidos e ela leva pra Jesus”, explica a senhora.

Com 153 anos de história, o Jubileu de Nazareno se torna palco devocional para pessoas de todas as idades. São muitos os devotos que realizam romarias para a festa. Uns para fazer pedidos, outros, para agradecimentos. “Pedi para que meu filho saísse das drogas. Achei que já estava tudo perdido, mas confiei. Hoje, já faz cinco meses que meu filho não usa ‘essas coisas’. Tenho fé que foi ela que olhou por mim”, relada João Batista, que saiu de Lavras para participar da festa.

Jovem carrega andor como forma de agradecimento por graça alcançada.

Na parte da tarde, uma grande demonstração de fé tomou conta da população. Percorrendo as ruas da cidade, milhares de fiéis saíram em procissão, juntamente com o andor de Nossa Senhora. No trajeto, enfeites, cantigas marianas e fogos manifestavam a fé nazarenense. Perto do andor, um jovem, descalço, muito emocionado. Era o momento de cumprir a promessa. “Quando pequeno corri o risco de perder a visão. Era algo irreversível. Hoje estou aqui, enxergando, cumprindo essa promessa e agradecendo por essa graça”, destaca.

Logo após a caminhada, todos se dirigiram ao palco lateral, devidamente estruturado e ornamentado para a celebração da Santa Missa Festiva, presidida pelo vigário geral da Diocese, padre Dirceu Medeiros. Durante a cerimônia, padre Dirceu refletiu o papel de Maria como mãe, escolhida por Deus e aclamada pelo povo. Falou do Ano Mariano e das celebrações festivas. Segundo o sacerdote, “Maria não é uma mulher qualquer, afinal, ela é cheia de graça”, explica.

O Jubileu em Nazareno se encerrou no domingo, 10, com procissão em honra a Santo Antônio. A festa, este ano, teve como tema “A Bem-Aventurada Virgem maria, Mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja” e contou com mais de 30 missas, atendimentos de confissões, procissões e bençãos.

COMPARTILHAR
22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).