Fiéis celebram a Festa de Pentecostes com vigílias, orações e tradições culturais

Música, tradição e muita fé. Assim é o Dia de Pentecostes na Paróquia de Matosinhos, em São João del-Rei. Marcado pelo Jubileu do Divino Espírito Santo a festa conta com missas, manifestações culturais, benção e procissão.

Organizada pela Comissão do Divino, criada com o intuito de organizar a festa junto à paróquia, a celebração reúne fiéis de toda a região desde 1774, sendo interrompida por 75 anos, e resgatada no ano de 1998.

Logo pela manhã o som dos instrumentos já se destacavam em meio a movimentação. Com tambores, fitas e muita alegria, os grupos de Congado, vindos de várias cidades mineiras, revelava a diversidade cultural do país através da demostração de fé de um povo. A luta pela valorização de suas raízes. “O grande jubileu do Divino abraçou os congados e toda essa cultura. É uma riqueza imensurável”, destaca o historiador, Ulisses Passarelli.

Celebrando os cinquenta dias após a ressurreição de Jesus Cristo, a festa de Pentecostes é a forma de mostrar a vida da igreja e a força que a inspira. “Celebramos o início da nossa caminhada de fé. É ter consciência que o Espírito Santo que conduz e inspira à Igreja. Que faz crescer a fé do cristão. É a mão atuante do Senhor”, explica padre Jorge Wilson.

A programação contou ainda com a missa solene, coroação do imperador e procissão. Uma oportunidade para os fiéis fazerem pedidos ao Espírito Santo ou agradecimentos. Na chegada houve benção do Santíssimo Sacramento e, como de costume, a descida dos mastros.

Além de Matosinhos, paróquias como Catedral do Pilar e São Sebastião, em Santa Cruz de Minas, também promoveram festas em honra ao Espírito Santo. No município de São Vicente de Minas, à 18 km de Andrelândia, a festa é celebrada há mais de 100 anos. “A Festa do Divino Espírito Santo reúne uma multidão de fieis que, como cristãos batizados, vêem a Fortaleza do amor de Deus, em suas necessidades e propósitos. Este ano a festa contou com uma boa estrutura para favorecer o entretenimento”, explica o pároco, padre José Roberto Vale.

Nas cidade de Lavras e Minduri a data também contou com Vigília reflexiva, reunindo publico de diversas idades e pastorais. “É uma forma de celebrar a unidade. Crianças, jovens, adultos, idosos e religiosos, todos em uma só festa”, destaca padre Clayton Nogueira, um dos organizadores doe vento em Lavras.

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).