Mais de 550 agentes recebem formação da Pastoral Familiar sobre novo curso de noivos

A Pastoral Familiar encerrou no último sábado, 24, o primeiro ciclo de formações, que contemplou mais de 550 diocesanos que atuam ou desejam atuar na Preparação para o Matrimônio, também conhecida como Cursos ou Encontros de Noivos.

Assessoradas pelo Padre Cristiano Assis, assessor eclesiástico da Pastoral Familiar na diocese, aconteceram formações em Barroso, São João-del-Rei, Nazareno, Lavras e Madre de Deus de Minas para que todas as foranias pudessem ser atendidas. O objetivo foi fornecer conteúdo sobre as orientações da Igreja para esta importante etapa, que é também uma catequese, a catequese pré-matrimonial, como a definiu  São João Paulo II, Papa, na Encíclica Familiaris Consortio.

Além deste documento, diversos outros foram utilizados, como a exortação Amoris Laetitia, documentos da CNBB e do CELAM que inclui o documento de Aparecida. Todos estes orientam que a Preparação Próxima para o Matrimônio (Cursos ou Encontros de Noivos) deve ser uma caminhada que gere vínculo entre agentes e noivos, favorecendo a partilha, o acompanhamento e permitindo um verdadeiro discernimento vocacional. É desta forma que muitas dioceses no Brasil e no Mundo já atuam, mas há várias que precisam ajustar a caminhada e atender às orientações da Igreja que, apesar de serem tonificadas pelo Papa Francisco, não são recentes e vêm se repetindo desde a década de 1970. Detalhes sobre esta metodologia podem ser obtidos em nota oficial no site da diocese (clique aqui).

Com a estruturação da Pastoral Familiar na Diocese de São João del-Rei há alguns anos, iniciou-se a reestruturação da Preparação para o Matrimônio, com grande dedicação da coordenação e de toda a pastoral, a cooperação de outros movimentos e serviços diocesanos e o envolvimento de padres e do bispo diocesano Dom Célio Oliveira Goulart. O casal Gil Ney e Cristina, coordenadores diocesanos da Pastoral, comentam com satisfação que “tem sido um longo caminho, de muita conversa, estudo e oração, um incansável trabalho de formiguinhas. Hoje podemos dizer que a grande maioria das paróquias e de seus párocos acolheram o direcionamento da última Assembleia Diocesana de Pastoral que é também um pedido da Igreja. Assim, a família tem sido prioridade. E promover um sério discernimento para o Matrimônio significa favorecer um bom começo para as famílias”, explica.

Gil Ney e Cristina ainda afirmam que “este é um caminho sem volta. Não por imposição, mas porque os resultados são visíveis.” E são mesmo visíveis, tanto por parte dos párocos quanto dos agentes, dos noivos e de toda a comunidade. Marcilene, agente da Pastoral Familiar da Paróquia São Sebastião de Lavras, testemunha que “se tivesse conhecido antes este modelo, nunca teria promovido os encontros unicamente de fim de semana.”

Padre Dirceu de Oliveira Medeiros, pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Prados, um dos primeiros padres da diocese a apoiar a mudança na estrutura da preparação, também dá seu depoimento positivo. “Depois que implantamos a preparação para o matrimônio por acolhimento, percebemos que os encontros ganharam outra conotação, foi superada aquela ideia de aula. Porém, o maior ganho, foi a criação de um vínculo de afeto e compromisso entre os noivos que se preparam e o casal que acolhe”, destaca o sacerdote.

O casal Douglas e Cristiane, que atualmente estão fazendo parte de um dos grupos de preparação na Paróquia de Matosinhos, em São João del-Rei, não teve dúvidas em optar por este modelo, mesmo havendo em paróquias próximas à esta a preparação condensada em um ou dois dias. “Nós dois acreditamos que o curso de noivos com um tempo maior de duração, além do fato dos encontros ocorrerem na casa de casais que já receberam o sacramento do matrimônio, nos permitem vivenciar e trocar experiências da vida matrimonial de uma maneira mais efetiva em relação a um curso compactado em um fim de semana”, explicia.

A paróquia onde eles fazem os encontros (Senhor Bom Jesus de Matosinhos) já está no quinto ano de funcionamento deste modelo de preparação, sendo a segunda da Diocese a implantar o modelo, precedida pela Paróquia Nossa Senhora das Dores, da cidade de Dores de Campos.

O novo formato

No Brasil há dioceses que atuam com este formato de preparação para o Matrimônio, conhecido como personalizado ou acolhimento, há mais de 20 anos. Várias outras também estão em processo de adequação. Tal como a catequese de Primeira Comunhão e de Crisma, a catequese Pré-Matrimonial vai se firmando para os fiéis como etapa necessária e que deve ser cumprida com antecedência, até mesmo antes de se marcar a data do casamento. Se assim for, esta etapa promoverá o discernimento vocacional do casal que significa se decidir pelo Matrimônio, adiar os planos para maior amadurecimento ou até mesmo desistir de levar adiante o relacionamento ao se perceber não haver as disposições necessárias.

No Brasil

O mesmo trabalho de formação de agentes realizado na Diocese de São João del-Rei  tem sido realizado por todo o país, através do casal diocesano que é o casal responsável pelo setor pré-matrimonial Assessoria Pedagógica da Comissão Nacional da Pastoral Familiar – CNBB, também autores do livro que é um subsídio oficial utilizado nacionalmente.

Texto de André Parreira / Pastoral Familiar

COMPARTILHAR
Departamento de comunicação