O Senhor não abandona aqueles que n’Ele confiam

Foi num quarto de hospital que alimentei minha fé e renovei meu 2018. Como não atender ao pedido daquele que me ensinou a rezar? Não faltaram fervor, gratidão e fé. Levei o amor e o cuidado àquele que com seu cajado me educou para a intimidade com Jesus. Descobri como oram os santos, vendo nosso amado bispo orar. Compreendi a coragem dos mártires, vendo nosso querido Dom Célio sofrer em silêncio, sem perder a serenidade de sua face.

Diante de mim, naquele dia, estiveram o Cristo – Pão e o Cristo Sofredor. Visitei a Ceia e o Calvário naquele quarto de hospital… Ou será que o Divino me visitou naquele recinto silencioso?

Eu sei, a dor não estava tombando-o. Conheço sua fé. O que vi durante esses dia de perto, foi uma frágil criatura no colo daquele que o faz forte. Mais uma vez meu querido Pastor me ensinou algo sobre a fé: O Senhor não abandona aqueles que n’Ele confiam.

No silêncio desse homem contemplei a beleza de quem mesmo, sem nada entender, tem a ousadia de crer! Nos brilhantes e vivos par de olhos azuis desse senhor, enxerguei Deus trabalhando com delicadeza e amor em sua alma. Me evangelizou quando eu não sabia quem era Deus e me evangelizou mesmo depois de ter tido a oportunidade de conviver e caminhar lado a lado a Cristo.

Naquele quarto, diante da grandeza à minha frente, aumentei minha pequenez para que pudesse caber na menor brecha que ousei adentrar naquela vida. A doença mudou, progrediu e voltou a judiar. Como pode Deus me visitar assim. Ali acabou meu cansaço. Ali só coube emoção. Examinei aquele grande homem.

Coração sereno, mais barulhento de amor. Pulmões que sopraram em mim o sopro da vida e contemplei o mais belo sorriso ao pergunta-lo como sentia-se, e o mesmo me respondeu: “tudo bem, tudo bem”. Pensava comigo o quanto eu queria, com minha mão, retirar os problemas daquele senhor e ao mesmo tempo me emocionava porque, com aquela visita, Deus retirava cada um dos meus sofrimentos, não físicos. Ali ganhei a certeza de que Deus sempre está comigo e sempre me visita de diversas formas.

Naquele dia Ele me visitou, e me deu força para continuar em busca do meu sonho.
Gratidão, homem provado na dor sem perder a fé. Gratidão por me ensinar a amar o seu belo Senhor. Gratidão, por não temer o calvário na certeza de que ele é caminho para a ressurreição. Gratidão, por ser meu mestre e me aceitar como aluno.

Que a Virgem Maria te dê colo, paciência e saúde. Que Deus me dê uma porção de sua fé, de sua coragem e de sua fortaleza. Que Deus não permita jamais que nossas almas e corações estejam longe um do outro.

Te amo e rezo pelo Senhor com as orações e fé que me ensinou, desde a mais tenra situação em que me conheceu! Receba a minha bênção ao orar por ti e do céu me conceda a sua bênção!

23 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).