Paraliturgia do Encontro reúne fiéis no centro de São João del-Rei

Fotografia de Lucas Silveira

O calendário litúrgico indica que ainda está no período quaresmal, mas, em São João del-Rei, o clima de Semana Santa chega sempre com semanas de antecedência. É a Comemoração dos Passos, uma das mais autênticas e legítimas tradições da histórica cidade do Campo das Vertentes. Preservada há mais de dois séculos, a festa paralitúrgica recorda o tocante encontro de Jesus e Maria durante a Via Crucis.

A programação maior iniciou na Sexta-feira, 14, com o Depósito de Nossa Senhora das Dores. Saindo da Catedral do Pilar, a imagem da Virgem Dolorosa foi encaminhada para a Igreja de Nossa Senhora do Carmo. O mesmo ocorreu com a imagem do Senhor Bom Jesus dos Passos, que, em depósito, foi direcionado a Igreja de São Francisco de Assis, na noite de sábado, 25.

Como de costume, o quarto domingo da quaresma amanhece diferente na cidade. Quaresmeiras, amêndoas e rosmaninho são alguns dos símbolos que “ornamentam”, ainda mais, a solenidade. Os tradicionais sinos, e suas peculiaridades, também completam a simbologia, afinal, é nessa festa que eles (os sinos) entram em disputa e realizam o magnífico combate.

O repertório musical é o mesmo executado há mais de duzentos anos. Também o costume popular de beijar três vezes a fita do Senhor dos Passos, alternando com passagens debaixo da cruz (que a imagem traz às costas), contornando o andor em sentido anti-horário, é muito antigo.

No fim da tarde, os olhares dos fiéis são direcionados apenas para as duas imagens de roca, ornamentada em seus respectivos andores. A cena, que comoveu a todos, foi acompanhada por centenas de fiéis que se aglomeraram na Praça Barão de Itambé (Largo da Câmara). Para conduzir o sermão, foi convidado o Bispo Emérito de Colatina/ES, Dom Décio Sossai Zandonade.

Durante o sermão, Dom Décio associou a figura de Maria com muitas mães hoje, que vivem marginalizadas. Falou sobre o aborto e imprudências no trânsito.

Após o tocante encontro as imagens, juntamente com os fiéis, saíram em procissão rumo a Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar. Durante o percurso, os fiéis puderam acompanhar os Motetos dos Passos como “O Senhor Deus”, “Miserere”, “Popule Meus”, “O Vos Omnes” e “Adoramus Te”. Todos, executados pela Orquestra Ribeiro Bastos.

Há entrada da procissão, no interior da Catedral, Zandonade proferiu o Sermão do Calvário, encerrando assim as comemorações de 2017.

COMPARTILHAR
22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).