São-joanense restaura imagem do século XVII que pertencia Nhá Chica

Aclamada pela beata Nhá Chica como “Minha Sinhá”, a imagem de Nossa Senhora da Conceição, escupida em barro queimado no final século XVII, passou uma restauração recentemente. A missão foi do restaurador são-joanense Carlos Magno de Araújo que a entregou na ultima sexta-feira, 09, para ser venerada, novamente, na cidade de Baependi.

Segundo o restaurador foram quase 10 dias de trabalho na tentativa de encontrar a pintura primitiva da imagem que já sofrera diversas alterações artísticas. “Havia mais de nove camadas de tintas e alterações em gesso. Fiquei emocionado com a missão e apreensivo com a responsabilidade. Acredito que nem Nhá Chica conheceu a imagem com essa pintura”, explica.

A imagem pertencia a beata Francisca de Paula de Jesus e serviu de incentivo para a edificação do templo na antiga Terra de Cavaco, atual Baependi. Aos pés da pequena representação mariana, Nhá chica fazia suas orações, pedia conselhos e conversava. “É uma riqueza histórica, artística e religiosa. Que transmite fé. Não deixa de ser, também, uma relíquia da beata”, afirma.

A devolução da imagem foi realizada em uma missa presidida pelo Reitor do Santuário da Imaculada Conceição de Nhá Chica, padre Noel Vitor Gonzaga.

22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).