Semana Santa: uma oportunidade para o cristão

Nos dias da Semana Santa somos convidados a participar das celebrações que a Igreja Católica nos propõe, centralizando o Mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, o Filho de Deus. É, por isso, chamada de Semana Santa, por nos levar à meditação e também à vivência dos pontos mais importantes de nossa fé durante os dias dessa semana.

Como devemos nos aproximar da celebração deste Mistério? Para nós, católicos, nos é pedido uma participação efetiva em todos os ritos celebrativos: Eucaristia; Confissão; Ações para-litúrgicas que são as Procissões, as Vias-Sacras, os Momentos de representações de cenas históricas da vida de Jesus, como o Lava-pés, o Descendimento da Cruz e, para a Paróquia da Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar,  a recitação do Ofício de Trevas, o Setenário das Dores de Nossa Senhora e o Sermão das Sete Palavras.

A proposta da Igreja é de que saibamos colocar sempre no centro de todos estes momentos a pessoa de Jesus Cristo. Por que Ele, o Filho de Deus, conheceu as realidades humanas comuns a todos nós, como a dor, o sofrimento, as limitações, decorrentes de nossa situação de pecadores. Mas, que, com sua morte, assumida em nosso favor como um gesto de amor redentor, aponta para a vitória, que é sua Ressurreição. A morte não tem domínio sobre o Filho de Deus! No primeiro dia da semana, após a crucifixão de Jesus, Maria Madalena, Pedro e João indo ao sepulcro de Jesus, encontraram-no vazio. Ele não estava ali, como diz o evangelista João: “entraram no sepulcro, viram os panos que enfaixavam o corpo de Jesus postos no chão. O sudário que estivera sobre a cabeça de Jesus, estava dobrado, num lugar à parte. Viram e acreditaram!” (Jo 20, 5-8).

Assim, acredito que para nós, católicos, a Semana Santa deverá ser sempre muito bem celebrada e vivida, porque é momento de amadurecermos na fé e assumir o compromisso que hoje a Igreja pede de todos nós, como cristãos: dar testemunho com nossa vida daquilo que significa o nosso seguimento a Jesus Cristo. A pessoa de Jesus é que nos leva a praticar gestos concretos de caridade para com os irmãos menos favorecidos, a lutar pela transformação das realidades pecaminosas que hoje nos cercam na situação de família, do mundo do trabalho, nos inumeráveis desequilíbrios em que vivemos na sociedade e nas relações entre os povos.

Como cristãos deveremos transformar as realidades de dor e de sofrimento em sinais de esperança e de vida nova, apontadas por Jesus Cristo em sua Páscoa.

A Páscoa de Jesus Cristo é a nossa Páscoa! Por isso que nos alegramos imensamente no dia da Páscoa e, devemos sim, agradecer ao Senhor Jesus que nos trouxe a Redenção dos nossos pecados, dos nossos limites, dos nossos vícios, do nosso desânimo por sua Morte e sua Ressurreição. Somos anunciadores de que outro mundo é possível! Uma santa e abençoada Páscoa a todos a quem queremos bem!

COMPARTILHAR
Departamento de comunicação