Solenidade da Ascensão do Senhor

Marcos 16,15-20

“Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura!”

Imaginemos ter um amigo verdadeiro desde a escola fundamental, ensino médio, faculdade, doutorado, pós doutorado sempre juntos. Um concurso e seu amigo passa encontrando emprego numa multinacional e vai partir para a Austrália. Você o acompanha ao aeroporto sem saber quando será o retorno para se verem novamente.Tomam um café, abraço de despedida, algumas lágrimas e você volta pra casa triste.

Desse modo imaginamos a subida de Jesus ao céu. Um belo dia Ele chama seus amigos vai ao aeropor-to (o monte das oliveiras) fala com eles, confia-lhes as últimas coisas e depois adeus. Eles voltam pra casa com a sensação de terem perdido um amigo. No Evangelho há uma observação que nos faz compreender que esse modo de entender a subida de Jesus ao céu, é errado. Se fôssemos ao aeroporto, à rodoviária, nos despedirmos de um amigo que nunca mais veríamos, como estaria nosso coração? Triste, mal humora-dos, sentiríamos um vazio porque perdemos alguém, sentiríamos nossa vida diminuída.

Porém foi justamente o contrário. Quando Mateus, Lucas e os Atos dos Apóstolos descrevem a Ascensão de Jesus narram que voltaram para casa com o coração cheios de alegria, felizes pelo que estavam vivendo.

* Isto significa que a Ascensão de Jesus ao céu não é a partida de um amigo querido, mas é um amigo que muda seu modo de estar no meio de nós, muda o modo de sua presença.

* Outra reflexão: imaginemos estar numa mesa cheia de coisas deliciosas, preparadas por uma ótima cozi-nheira. Como nos comportamos? Começaríamos a ficar tristes, e tirando o lenço do bolso choraríamos sobre os alimentos porque dali há pouco eles não estariam mais na mesa?Claro que não! Ficamos felizes! O alimento que temos diante de nós mudará o modo de sua presença pois passará a estar dentro de nós. Proteínas, minerais e vitaminas que estão sobre a mesa estarão dentro de nós e se tornarão nossa vida. Mudará só o modo de presença daqueles ótimos alimentos.

Então a Ascensão de Jesus não é perder um amigo que desaparece mas é encontrar de modo diferente o amigo que mudou seu modo de presença.

E para que mude o modo de estar presente Jesus sobe ao céu também como homem na sua divindade.

> Que conseqüências podemos tirar da ascensão de Jesus ao céu?

1ª) O certo para todos nós é que em um momento de nossa vida morreremos! Para nós morrer é natural ! Mas para Jesus, para Deus o natural é subir ao céu. E o que é natural para Deus se torna natural para nós. Se Jesus, homem como nós, subiu ao céu como Deus, quer significar que nós sendo como Ele viveremos a mesma coisa… i é: aquilo que é natural para Deus se torna natural para todos nós.

2ª) Vivemos uma fé um pouco ateia. Pensamos que estamos aqui e que Deus está lá nas alturas; Deus não está lá e nós aqui.Deus está também aqui conosco e estamos também lá junto de Deus com Ele. Somos seres transcendentes, sobrenaturais, isto é: nós somos mais do que somos.

– Nós, eu, você, todos somos um pouco mais que nosso corpo

– Nós, eu, você, todos somos um pouco mais que nossa casa

– Somos um pouco mais que nosso trabalho, nossos títulos, nossos diplomas

– Somos um pouco mais que nosso dinheiro, nossas roupas e sapatos

– Somos mais! A nossa vida não é a terra, a nossa vida é o céu. Nossa vida não está destinada à morte mas a sermos felizes como nosso irmão maior Jesus, somos destinados ao céu.

* Última reflexão:Nós comemos mesmo quando estamos mal, doentes; aliás quando estamos mal procu-ramos um alimento melhor, mais substancioso. Será que é o alimento que cura nossa doença? Não! È ne-cessária a medicação que ajuda na cura de nossa doença. Porém os alimentos dão mais força ao organismo para com a ajuda dos remédios, vencer a doença ou pelo menos controlá-la.

> Jesus que subiu ao céu está dentro de nós. Ele é o alimento de que podemos nos nutrir. Porém esse alimento não é uma varinha mágica que nos cura de todas as doenças, mas nos dá a força para combater aquelas doenças, para suportá-las com um coração novo.

Jesus não nos livra do diabetes, da pressão alta, do colesterol ruim, etc… mas se o carregarmos dentro, se nosso coração se tornar o seu céu, viveremos diferentemente tudo aquilo que nos acontece.

* Agradeçamos a Deus e comamos daquele alimento que é Cristo, para que nos ajude a viver nossa vida diversamente de como a viveríamos se fôssemos destinados à morte. Somos destinados ao céu, lutando por uma terra melhor, mais justa e mais alegre.

22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).