Solenidade de Todos os Santos

Ev Mt 5, 1-12

“Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus” (Mt 5, 12).

Nesta festa de Todos os Santos proclama-se a passagem das Bem-aventuranças, de São Mateus, que concretiza a chegada do Reino de Deus para aqueles que ficarão felizes com esta realização. Ao mesmo tempo é a proclamação da amizade de Deus para com aqueles que participam do projeto de vida proposto por Deus. Quem for capaz de orientar sua vida pelo direcionamento revelado por Deus em Jesus Cristo, cumprindo os ideais evangélicos será santo, feliz ou bem-aventurado. Por isso esta passagem é chamada de apresentação do Projeto de Jesus Cristo para todo cristão que deseja seguir o próprio caminho de Jesus.

Santos ou bem-aventurados foram aqueles que em sua vida souberam ser fieis ao batismo recebido. A história da Igreja nos apresentam os santos e os bem-aventurados como homens e mulheres que de diversos modos testemunharam sua adesão a Jesus Cristo e seu compromisso com o Reino de Deus. Hoje, iluminados pelo Documento de Aparecida, sabemos que se torna mais claro para nós que o discípulo de Jesus necessita do encontro pessoal com Ele, assim como foi a experiência de cada um que foi reconhecido oficialmente como santo ou santa, bem-aventurado ou bem-aventurada, tornando-se exemplos para nós.

As bem-aventuranças somente serão alcançadas no futuro quando na vida presente soubermos praticá-las em nosso dia-a-dia. E isto é para todos nós, porque santidade não é o destino de poucas pessoas, mas de todos os que se fizeram seguidores e seguidoras de Jesus Cristo através do seu Batismo. A vocação fundamental é para a santidade. Santidade significa ser de Deus em nossos atos e palavras, como também lutando pela transformação das realidades em que estamos. Não percamos de vista este ideal.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano