Solenidade Santíssima Trindade

Mt 28, 16-20

Após dar uma definição de Deus como puro Espírito Perfeitíssimo, Eterno, Criador do céu e da terra, o catecismo antigo de nossa 1ª comunhão fazia 3 perguntas sobre a Santíssima Trindade.

“O Pai é Deus?” -Sim, o Pai é Deus!

“O Filho é Deus?” -Sim, o Filho é Deus!

“O Espírito Santo é Deus? “ -Sim, o Espírito Santo é Deus!

“Então são 3 deuses?“ – Não! Há um só Deus em três pessoas!

Mas nós, crianças de 7 anos, ficávamos sem saber o que tínhamos decorado embora com muitas dúvidas na cabeça. Fomos crescendo e as interrogações surgindo: se Deus é puro espírito, Ele não tem forma, Ele não tem formato. Como então existe aquela imagem de Deus lá em Tiradentes? E aquela imagem lá em Trindade de Goiás?

Não sabendo lhes explicar porque não foram proibidas, vamos então purificar nossa fé, tornando-a mais adulta, mais madura. Contaram-me, quando estive estudando lá em Roma que, um pároco na homilia começava assim: ”vou comentar sobre a Santíssima Trindade no final da missa porque agora tenho algumas comunicações urgentes a fazer”.

Começava falando da próxima peregrinação ao santuário de Nossa Senhora; depois apelava à generosidade dos fiéis para a restauração de uma capelinha na zona rural que estava quase caindo. Depois, suspirando,abria a lista das coisas desagradáveis quanto aos funerais, as procissões, o baile no clube perto da Igreja Matriz, o comportamento de alguns jovens na igreja, as noivas que não respeitavam a hora para a cerimônia chegando sempre atrasadas, e uma infinidade de irregularidades.

No final, consultando nervosamente o relógio, pedia desculpas de não poder refletir sobre o mistério da Santíssima Trindade em tão pouco tempo! Recomendava para fazerem bem feito o sinal da cruz antes de todas as atividades para recordar tão grande mistério e terminava com o tradicional Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. E repetia a mesma coisa todos os anos.

Ora, Deus não é para ser entendido pela razão, e sim para ser amado. Deus é o Transcendente, o Totalmente Outro, é mistério porque Deus é Luz demais. Jamais poderemos possuir Deus, aprisioná-lo em nossos conceitos. Diante de Deus-Trindade devemos confessar de todo coração como Isaías: ”Verdadeiramente sois um Deus misterioso” (Is 45,15).

Ninguém sabia quem era Deus… porém Jesus veio para nos ensinar que Deus é Pai e a união entre os dois é tão intensa, forte e plena que é Amor, o Espírito Santo. ”Eu e o Pai somos um só”. Quando Felipe disse que Jesus estava falando muito sobre seu Pai, já meio nervoso, pediu: ”Mostra-nos o Pai e isso nos basta”…Jesus quase num desabafo responde:“Há tanto tempo que estou convosco e não me conheces ,Felipe! Aquele que me vê,vê também o Pai. Eu estou no Pai e o Pai está em mim!”

Em Israel circulavam secretamente imagens do Deus que tirou o povo da escravidão do Egito. Secretamente porque havia uma forte proibição. A proibição de ter imagens de Deus se baseava em 3 razões:

1ª)porque Deus é o Totalmente Outro,em relação a tudo o que existe.

2ª)para afirmar a diferença radical entre Deus e tudo aquilo que não é Deus.Fazer imagem de Deus é produto humano e produto humano jamais pode ser adequado à santidade de Deus.

3ª)porque possuir a imagem de Deus seria de algum modo possuir Deus, ter posse sobre Deus, fazendo da imagem um ídolo. E Deus é para ser louvado, invocado, procurado, amado mas não para ser pensado como um problema de matemática.

Mas a questão da imagem levanta interrogações: qual é a “imagem” de Deus? Somos nós… é o homem e a mulher! Na criação Deus diz: “ Façamos o homem à nossa imagem e semelhança”. Então somos um projeto nas mãos de Deus e é nosso dever realizar o projeto de sermos imagem do Deus-Trindade que é tanto Amor, tanto Amor, a ponto dos Três se tornarem um só!

Muitas vezes perdemos essa imagem de Deus em nós… e embora sendo imagem perdida de Deus temos a alegria de que Jesus de Nazaré recuperou a imagem de Deus em nós.

São Paulo na carta aos romanos (Rm 5,5) escreve que nós vivemos na esperança: “E a esperança não engana, pois o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”.

Apesar da nossa pequenez humana, somos seres de relação e de comunhão entre nós,com Deus Pai, por seu Filho Jesus,no Espírito Santo. Pelo amor à Santíssima Trindade que nos une, e nos faz enxergar cada pessoa como imagem e semelhança de Deus, podemos viver na esperança e no respeito total às imagens de Deus que caminham conosco e a nosso lado na mesma estrada.

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).