Tradição Cristã: Obras da Fé

Nos dias da Semana Santa os católicos são convidados a participar das celebrações propostos pela Igreja, centralizando o Mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, o Filho de Deus. É, por isso, chamada de “Santa”, por levar os fiéis a meditação e vivência dos pontos mais importantes da fé. A morte não tem domínio sobre o Filho de Deus.

No primeiro dia da semana, após a crucifixão de Jesus, Maria Madalena, Pedro e João indo ao sepulcro de Jesus, encontraram-no vazio. Ele não estava ali, como diz o evangelista João: “entraram no sepulcro, viram os panos que enfaixavam o corpo de Jesus postos no chão. O sudário que estivera sobre a cabeça de Jesus, estava dobrado, num lugar à parte. Viram e acreditaram!” (Jo 20, 5-8).

A Semana Santa deve ser, sempre, muito bem celebrada e vivida, porque é momento de amadurecer na fé e assumir o compromisso que hoje a Igreja pede aos cristãos: dar testemunho com a vida daquilo que significa o seguimento a Jesus Cristo. A pessoa de Jesus é que leva as pessoas a praticarem gestos concretos de caridade para com os irmãos menos favorecidos, a lutar pela transformação das realidades pecaminosas na sociedade e nas relações entre os povos. Os cristãos devem transformar as realidades de dor e de sofrimento em sinais de esperança e de vida nova, apontadas por Jesus Cristo em sua Páscoa.

 

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).