V Domingo da Quaresma

Ev Jo 8, 1-11

“Eu também não te condeno. Podes ir e, de agora em diante, não peques mais” (Jo 8, 11).

Com o ensinamento da Palavra de Deus nesta caminhada da Quaresma mais uma vez soa em nossos ouvidos palavras de perdão e de novas oportunidades de vida para quem seja capaz de se reconhecer pecador. Os textos da Palavra proclamada nesse domingo apontam o Deus que fez maravilhas junto ao povo de Israel, que não deveria mais se lembrar dos fatos passados; faz Paulo se reconhecer buscando o novo sentido de sua vida em Cristo e a mulher, condenada pela sociedade, sentir-se acolhida por Jesus Cristo e tendo a possibilidade de iniciar uma vida nova sem o pecado.

Deus nos oferece muitas oportunidades de nós nos sentirmos perdoados de nossos pecados. Quando passamos pela experiência do reconhecimento de nossas faltas, através da confissão ou de outros meios que a Igreja nos apresenta para tomarmos consciência da necessidade da conversão, e fazemos a mudança de atitudes numa sincera conversão, sentimos assim o amor de Deus para conosco. Ele nos liberta e podemos nos sentir em condições de retomar com sua graça nossa experiência de uma vida em conformidade com sua vontade.

No tempo da Quaresma e neste Ano Santo da Misericórdia, além de fazermos nossa própria experiência de nos sentirmos amados e perdoados por Deus, que possamos também levar outras pessoas, parentes ou amigos, a ter um encontro pessoal com o amor de Deus através da confissão ou de alguma prática libertadora, como o jejum, a mortificação ou a oração sincera.

 D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano