XXXIII Domingo do Tempo Comum

Ev Lc 21, 5-19

“Essa será a ocasião em que testemunhareis a vossa fé”. (Lc 21, 13).

Ao final do ano litúrgico a Palavra de Deus toma uma característica apocalíptica, visando nos preparar para aquilo que seja a volta definitiva de Jesus Cristo para a restauração de todas as coisas. Tanto a leitura do Profeta Malaquias, como também a carta de Paulo aos Tessalonicenses e a passagem de São Lucas nos dizem sobre o modo de como devemos estar sempre prontos para nosso encontro com o Senhor: fidelidade no nosso proceder, ocuparmos nosso tempo em realizar sempre o que seja para o bem e estarmos atentos em testemunhar a nossa fé. Contra as tentações de cruzarmos os braços e esperar o dia definitivo da volta do Senhor, e ou de nos isolarmos com uma preocupação individualista na espera de nossa própria salvação, o ensinamento da Palavra de Deus nos exorta a estarmos em prontidão e praticarmos o bem.

Ao cumprir nossos compromissos e dar testemunho da nossa fé, poderá acontecer que seremos perseguidos. Jesus advertia seus seguidores sobre isto e lhes animava a perseverar fiéis e confiantes. As dificuldades e sofrimentos poderão ser uma realidade em nossa vida, mas sabemos que Deus é justo e que cumprirá sua palavra, levando a sua obra à plenitude quando e do modo como Ele desejar. Enquanto isto devemos ser pessoas da esperança, apontando sempre para a vitória de Jesus Cristo e de todos aqueles que forem fiéis. Esta é a experiência pascal, vivida nas realidades cotidianas possíveis a todos nós. Da parte da Igreja temos os meios adequados para isto, na vivência sincera dos Sacramentos e na prática da caridade.

Com certeza em nossos relacionamentos familiares e com pessoas amigas, sempre este assunto do “Final do Mundo” faz parte de nossas conversas. Somos responsáveis em transmitir uma boa notícia sobre isto: é necessário que o Senhor Jesus volte para completar sua obra! Tenhamos coragem de apresentarmos um testemunho positivo sobre a volta do Senhor Jesus e apontarmos caminhos de esperança para os temerosos e acomodados.

Dom Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano. 

22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).