2º Domingo do Advento

Mc 1,1-8

“Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas estradas!’”

Estamos celebrando o tempo litúrgico do Advento: período de preparação para o Santo Natal, quando Ele, o Senhor, que é a novidade absoluta, veio habitar no meio desta humanidade decaída para a renovar a partir de dentro.

A liturgia do Advento nos mostra uma mensagem cheia de esperança, que exorta a dirigir o olhar para o horizonte último, mas ao mesmo tempo, a reconhecer no presente os sinais do Deus-conosco.

No 2º Domingo de Advento a Palavra de Deus assume os realces comovedores no texto da 1ª leitura retirado do livro de Isaías. Nesta leitura vemos o Profeta falar aos Israelitas, provados por décadas de amargo exílio na Babilónia, e anunciar finalmente a libertação: “Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Animai Jerusalém e gritai-lhe que a sua servidão terminou” (Is 40, 1-2). Isto quer o Senhor no Advento: animar o seu Povo e anunciar a salvação.

No Evangelho, temos proeminência de João Batista. João convida os seus contemporâneos a acolher o Messias. A missão do Messias será oferecer a todos os homens esse Espírito de Deus que gera vida nova e permite ao homem viver numa dinâmica de amor e de liberdade. No entanto, só poderá estar aberto à proposta do Messias quem tiver percorrido um autêntico caminho de conversão, de transformação, de mudança de vida e de mentalidade.