Com história de fé e unidade, igreja finaliza obras de restauração

A Paroquia Nossa Senhora da Conceição, da cidade de Coronel Xavier Chaves, mostrou que é possível driblar as dificuldades quando se faz um verdadeiro trabalho em comunidade. Próximo de completar seu centenário, a igreja matriz chega à reta final do seu processo de restauração. Uma conquista nutrida pela fé.

Segundo o pároco, padre Antônio Carlos Trindade da Silva, foram muitos os motivos que levaram à iniciativa da restauração interna do templo religioso. “Podemos falar da preocupação da comunidade em conservar esse patrimônio tão importante na história, além da necessidade de restauro de vários elementos deteriorados pelo tempo, dentre eles as pinturas artísticas. Além disso, a substituição da laje central pelo forro de madeira e a instalação de nova rede elétrica, trazendo mais segurança para a Igreja e comunidade”.

As obras de restauro e reforço estrutural tiveram início em fevereiro de 2020, com a substituição da laje pré-moldada por forro de madeira, instalação de nova parte elétrica, iluminação e novas janelas, além da pintura artística, limpeza dos pisos, dentre outros aprimoramentos.

“Com entusiasmo e envolvimento a comunidade muito trabalhou para a realização dessa obra. Foram 4 anos de movimentos e campanhas nessa empreitada, motivados pelo desejo de celebrar o centenário da inauguração da matriz que será comemorado no dia 05 de dezembro. Durante todo o tempo, os paroquianos e amigos demonstraram generosidade contribuindo efetivamente para que concluíssemos a obra com sucesso”, destaca o sacerdote.

Uma história de fé e contribuição

Na década de 1910, diante do crescimento e das melhorias que estavam ocorrendo no então distrito de São Francisco Xavier, viu-se a necessidade de se construir uma Igreja maior para a comunidade, que na época se reunia na capelinha de Nossa Senhora da Conceição da antiga Fazenda do Mosquito, hoje dedicada a Nossa Senhora do Rosário. Assim, em um terreno em frente a uma praça, na parte alta do distrito, foi iniciada em 1916 a construção de um imponente Templo em estilo gótico, diferente das Igrejas barrocas que até então eram o mais comum na região.

Em 1918, com a Igreja ainda em construção, foi estabelecido um curato no lugar, permitindo então ao povo contar regularmente com a assistência espiritual de um sacerdote. Na novena da padroeira, Nossa Senhora da Conceição, de 1920 a nova Casa de Deus foi inaugurada com quatro dias de festas e solenidades, com a temática “Domus mea Domus Orationis vocabitur” (Minha Casa será chamada Casa de Oração), frase que pode ser vista sobre o arco do cruzeiro.

As cerimônias foram desde o dia 05 de dezembro de 1920, quando se deu a bênção do templo, sendo os dias seguintes com festas para entronizar o Sagrado Coração de Jesus e São José em seus altares e terminando no dia 08 de dezembro com a Solenidade da Imaculada Conceição, a padroeira. Passados os anos, melhorias foram sendo feitas na igreja e em seus arredores, como a construção do adro e a urbanização da praça.

Em 1930, com a aquisição das imagens do Senhor dos Passos, Nossa Senhora das Dores e do Crucificado, a comunidade pode celebrar pela primeira vez a Semana Santa completa, com todas as solenidades externas. 10 anos depois, em 1941, com a criação da paróquia, a Igreja foi elevada a matriz Paroquial.

Após o Concílio Vaticano II, a igreja passou por adaptações para a celebração da Santa Missa conforme as novas regras litúrgicas e para abrigar a comunidade que continuava crescendo. Como algumas partes dos elementos originais não estavam em boas condições, segundo a mentalidade da época achou-se melhor modernizar o Templo, o que resultou na perda de vários de seus elementos artísticos.

Em tempos mais recentes, a comunidade sentiu a necessidade de realizar outras melhorias, restituindo-lhe a beleza de seus tempos passados e criando um ambiente mais solene, para aproximar mais o povo do sagrado. O altar-mor já havia sido restaurado anos antes, no paroquiato do Padre Paulo Daher, e coube ao atual pároco, Padre Antônio Carlos empreender as novas obras.

Mesmo em tempos de pandemia, com todos os cuidados sanitários, a obra continuou. Por não ser possível realizar eventos para ajudar no custeio da obra, foi exigido muito espírito inovador para angariar os fundos, sendo necessário o uso de várias tecnologias digitais.

Agora, em reta final, o pároco celebrará uma missa em ação de graças por todos aqueles que ajudaram na empreitada, enquanto a comunidade aguarda ansiosamente o fim da pandemia para poder fazer a inauguração com a devida solenidade.

Colaboração: Bruno Francis e Olímpio Longati/ Pascom

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).