Dom José Eudes preside missa na 1ª festa da Beata Isabel Cristina

Hoje a Arquidiocese de Mariana se alegra em celebrar a primeira festa da Beata Isabel Cristina. A comemoração, pela manhã, contou com a a presença do Bispo Diocesano de São João del-Rei, Dom José Eudes Campos do Nascimento, que celebrou a primeira Missa da programação festiva.

Isabel Cristina Mrad Campos nasceu em 29 de julho de 1962, em Barbacena. Filha de José Mendes Campos e Helena Mrad Campos, ela se mudou para Juiz de Fora em 1982, para fazer um curso pré-vestibular para medicina. No dia 1º de setembro do mesmo ano, um homem contratado para montar um guarda-roupa no apartamento onde ela morava com o irmão, tentou violentá-la. Isabel resistiu à violência, mas foi golpeada por uma cadeira na cabeça, amarrada, amordaçada e teve as roupas rasgadas. Como resistiu ao estupro, ela foi morta com 15 facadas, aos 20 anos.

Conforme a Arquidiocese de Mariana, Isabel tinha uma vida normal, estudava, namorava e participava de festas, mas tinha uma vida de oração, era dedicada à Igreja Católica e sonhava em ser pediatra para ajudar crianças carentes. A forma como foi morta, mas sobretudo como viveu, motivou um grupo de pessoas a entrar com o pedido do processo para a beatificação da mineira. Como Isabel foi batizada e fez a Primeira Comunhão na Matriz da Piedade, da cidade de Barbacena, pela ligação afetiva dos pais dela com a paróquia, foi decidido que os restos mortais ficariam no Santuário da Piedade.

O legado de Isabel Cristina para a sociedade

O legado da virgem e mártir Isabel Cristina está justamente no seu testemunho de sua vida. Ela é mártir, e viveu sua fé sendo uma testemunha da caridade. Isabel não teve vergonha de ser cristã, de ser uma jovem atuante e participante das atividades paroquiais. Em sua biografia vemos seu empenho em favor dos pobres, doentes e crianças.

Para a sociedade muitas vezes relativista e hedonista, Isabel Cristina deixa o exemplo de quem soube viver uma vida simples. A Serva de Deus deixa um legado especialmente aos jovens, um modelo de coragem, determinação, esperança, seu amor a Deus e a Igreja e por fim seu amor ao próximo. Ela também não teve medo de abrir mão dos momentos de prazer deste mundo para conservar no coração as verdades e a dignidade da fé católica e da pessoa humana. Isabel nutria um profundo respeito pela vida e pelo ser humano.

Ela morreu defendendo sua dignidade e os valores da castidade. No contexto atual, Isabel foi vítima de um feminicídio. O agressor de Isabel tentou ferozmente abusar dela sexualmente, mas Isabel defende os valores da sua fé resistindo e é morta violentamente. O modo como ela viveu sua vida e sua fé é exemplo para nós. Em Isabel Cristina vemos um autêntico testemunho de fé, na comunhão com a Igreja e nos valores evangélicos.