Missa, bênção e caminhada de fé marcam os 214 anos do batizado de Nhá Chica

O final de semana foi de festa no Rio das Mortes, distrito da cidade de São João del-Rei. Centenas de fiéis se reuniram em torno da pequena igreja da Beata Nhá Chica para celebrar os 214 anos do seu batizado. Celebrações de missas e procissão marcaram a programação.

Nhá Chica foi batizada no dia 26 de abril de 1810, na antiga capela de Santo Antônio, e ainda jovem mudou-se para Baependi, sul de Minas, e lá viveu grande parte da sua vida e lá dedicou-se a favor dos mais pobres e necessitados e construiu a sua fama de santidade, todavia ela é um exemplo de santidade para todos que conhecem a sua história. Leiga, mulher simples, filha de escrava, analfabeta, mas nada disso a impediu de dedicar a sua vida a vivência do Evangelho e de muita oração, em especial uma terna devoção a Imaculada Conceição.

A festa teve início no dia 25 com a realização do tríduo preparatório. Já no domingo, dia 28 de abril, aconteceu a tradicional caminhada com o Terço dos Homens até as ruinas da antiga igreja, seguida de Santa Missa. A presidência da celebração foi do bispo diocesano de São João del-Rei, Dom José Eudes Campos do Nascimento. Os fiéis presentes ainda receberam a bênção do bispo com a Reliquia Ex Ossibus (fragmento dos ossos) da Beata Nhá Chica.

Beata Nhá Chica morreu em 14 de abril de 1895, em Baependi. A sua beatificação aconteceu no dia 04 de maio de 2013 e o seu processo de canonização está no Vaticano sendo analisado pela Congregação dos para as Causas do Santos. Francisca de Paula de Jesus, a “Mãe dos Pobres” é a primeira negra, analfabeta e filha de escrava a receber o título de beata pela Igreja Católica no Brasil.

Vídeo: Willian Carvalho