MME inspira ações missionárias em paróquias da diocese

O mês de outubro tem sido de grande movimentação em muitas paróquias da Diocese. Celebrando o Mês Missionário Extraordinário (MME), proposto pelo Papa Francisco, paróquias e comunidades tem realizado diversas ações missionárias. Visitas as casas, atendimento de confissões e fortes momentos de espiritualidade tem proporcionado grandes momentos de fé neste mês temático.

Missão antes de ser uma tarefa a se realizar é vida a ser vivida. Segundo as Pontifícias Obras Missionárias (POM), a missionariedade “é um impulso de dentro para fora, de um amor que não se contém e transborda em gestos concretos”. E foi bem isso que aconteceu na Forania Nossa Senhora do Porto da Eterna Salvação. Os padres aderiram programações especiais e promoveram diversas mutirões para atendimentos de confissões e outros sacramentos.

O Diácono Thairo Guimarães acompanhou de perto os preparativos da forania. Para ele, as experiências missionárias são sempre positivas. “É você sair do seu ambiente (até mesmo comodismo) para se colocar a serviço do outro, tomando a iniciativa de estar, ir ao encontro. É deparar com o próprio Cristo através da figura do nosso irmão. É o entusiasmo da Igreja que nos alegra e nos motiva”, destaca.

Os paroquianos leigos também se agruparam no carisma e realizaram visitas nas casas da comunidade. “As pessoas nos recebem com alegria e nos agradecem pelas orações. É algo bonito e que nos emociona. Não é fácil por que a gente trabalha durante o dia e a noite saímos em missão. Mas é muito gratificante. Vencemos o cansaço diário e seguimos em missão”, explica a andrelandense Edilene Silva Narciso, uma das missionárias da paróquia.

Já Renata de Oliveira sentiu apreensão com a proposta da missão. “Não sabia como seria chegar a casa das pessoas, como seríamos recebidos, receio de negarem nossa oferta de oração. No entanto, com o passar das visitas, fomos tendo a certeza de estarmos cheios de Deus. A acolhida, a alegria e emoção de várias famílias com a nossa oração, nos deu a certeza do Deus conosco”.

Uma experiência aprovada pela Zélia de Lourdes da Silva Almeida. “Gostei muito de participar das missões, fomos muito bem recebida, até mesmo pela nossa irmã de religião diferente. Fizemos as visitas na rua onde moro. Foi muito bom visitar todos os meus vizinhos. Teve criança acompanhando e rezando conosco. Foi bom e gratificante”, completa.

Na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Lavras, um trabalho similar vem sendo realizado na comunidade. Segundo o pároco, padre Samuel Detomi, cada grupo de missão saiu ao encontro de famílias de enfermos e pessoas afastadas da participação na Paróquia. Todos foram acompanhados com a Cruz Missionária. “Essa iniciativa é importante para despertar uma maior consciência da missão na Igreja do mundo inteiro e da transformação missionária na vida e na pastoral da Paróquia”.

E se engana quem pensa que missão é algo que se leva, se faz. O sacerdote deixa claro que a transformação é mútua. “Todos os envolvidos se enchem de um novo ardor e entusiasmo de anunciar a missão de Jesus Cristo e transformar as comunidades em realidades missionárias evangelizadoras. Nossa paróquia se enriquece de testemunhos daqueles que se colocaram à disposição de concretizar a ‘Igreja em saída’, conforme nos inspira o Papa Francisco”.

A programação do Mês Missionário Extraordinário será concluída neste domingo, 27, com a celebração no Santuário São João Bosco, às 17 horas. A missa será presidida pelo bispo diocesano, Dom José Eudes Campos do nascimento, e presente reuniu toda a Diocese. A celebração também reunirá a juventude, marcando o desfecho do DNJ.

24 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).