Natural do Rio das Mortes, Nhá Chica é festejada na Diocese

As orações do dia 14 de junho foram de agradecimento. Em muitas casas, pequenos altares com flores e velas diferenciavam a data dos demais dias do calendário. O domingo foi de festa, mesmo de forma reclusa, em memória de Francisca de Paula de Jesus, a Nhá Chica, que nasceu no distrito de Rio das Mortes. Na paróquia dedicada à beata, houve transmissão de missa e benção com a relíquia.

Apos a missa realizada na parte de manhã, a igreja, também dedicada à Santo Antônio, ficou aberta durante todo o dia. Tomando as devidas precauções, muitos fieis puderam visitar a Igreja Matriz e fazer suas orações diante da imagem de Nhá Chica e da pia de seu batismo.

Segundo o pároco, padre Sérgio França, as celebrações foram atípica, mas de muita fé. “Ainda nos lembramos como ano passado, primeiro ano em que celebrávamos seu dia num feriado municipal, com enorme afluência de devotos. Ontem o numero de pessoas era restrito. Somente aqueles dos vários ministérios necessários e os membros da comissão de festa. Certamente é um momento não fácil para ninguém. O povo deseja estar presente, manifestar sua fé e devoção, mas também nós padres sofremos ao celebrar diante dos bancos vazios. Mas nos consola a conexão com todos nossos paroquianos e devotos de tantos lugares se se manifestam com tanto carinho, dando-nos, assim, maior incentivo. Isso nos motiva a celebrar com a mesma intensidade e beleza cada festa, cada eucaristia”.

Para o sacerdote, este é um período de grandes ensinamentos, inclusive, inspirados por Nhá Chica. “Penso que a vida da Beata Nhá Chica nos ensine, em particular nesse momento dramático que vivemos, a resgatar o essencial da vida, o essencial da fé. Uma mulher que se fez toda de Deus e toda dos irmãos, mulher da interioridade, do recolhimento e da oração, mas também do serviço e da doação. Uma mulher desprovida das ciências humanas, mas cheia da ciência divina, que de tantos se fez conselheira. Que ela nos ensine a fazer dos momentos de solidão momentos de encontro e intimidade com Deus”, conclui.

Na Diocese de São João del-Rei a data foi recordada durante as transmissões de missa nas demais paróquias.

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).