Nossa Senhora do Carmo é festeja em São João del-Rei

Fé, oração e devoção: palavras que podem traduzir a noite de sábado, 16, em São João del-Rei. Devotos de vários pontos da região se concentraram na histórica cidade para celebrar mais uma festa mariana em homenagem à Nossa Senhora do Carmo. Percorrendo as ruas de calçamento “pé de moleque”, em contraste à área asfáltica, fiéis demonstravam seu amor e devoção a Mãe de Jesus.

Para Tiago Felipe, membro da Ordem Terceira há 21anos, a festa tem uma emoção especial. Ele, que percorreu todo o trajeto carregando nos ombros o andor com a Imagem de Nossa Senhora, definiu os sentimentos como uma forte emoção. “A lágrima no rosto e o nó na garganta já começam antes de sair da igreja”.

Sobre peso, incômodo e cansaço, o jovem é claro: Maria fornece força. “Peço força para não desanimar no trajeto, por mais que os outros irmãos sejam da mesma altura sempre um pouco de peso acaba ocorrendo para todos. Os ombros e a coluna doem e muito, mas a dor logo é inibida quando paramos e algum devoto louva a Maria da sua forma, confesso que admiro muito as homenagens simples e chego a chorar quando vejo alguém perto de mim sussurrando por uma graça atendida”, explica.

Na chegada da procissão, palmas, sinos e fogos embalaram a emoção dos fiéis, acompanhado pelo canto da Ave Maria entoado pela dupla Bia Ávila e Marcos Nascimento. “Que honra. A imponente imagem de Nossa Senhora do Carmo, na minha frente, e o adro da igreja lotado. Um silêncio entre as pessoas e a minha voz ecoava. Uma cena que ficará sempre em minha memória e no coração. Um dos grandes momentos que a música me permitiu viver”, pontuou Bia em suas redes sociais.

Após o cortejo, os fiéis se dirigiram para o interior da igreja para a benção do Santíssimo Sacramento e o canto do Te Deum Laudamus. A festividade prossegue até quarta-feira, 20, com o tríduo em honra a Santo Elias, patriarca da Ordem Carmelita.

SOBRE A DEVOÇÃO

A devoção à Nossa Senhora do Carmo tem origem no século XII, quando um grupo de eremitas começou a se formar no monte Carmelo, na Palestina, Terra Santa, iniciando um estilo de vida simples e pobre, ao lado da fonte de Elias, que se estendeu ao mundo todo.

A palavra Carmo corresponde ao monte do Carmo ou Monte Carmelo, em Israel, onde o profeta Elias se refugiou. A palavra Carmo ou carmelo significa jardim.

Segundo a iconografia popular, Nossa Senhora do Carmo aparece com os braços estendidos, oferecendo o escapulário. “Não é um amuleto, mas um sinal de salvação. Significa estar cobertos pela sua graça, pelos seus dons”, explica padre Antônio Claret.

27 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).