O que é o Tempo Comum?

Além dos tempos litúrgicos que possuem características próprias, como é o caso do Advento, Natal, Quaresma ou Páscoa, existem trinta e três ou trinta e quatro semanas durante o curso do ano nas quais não se celebram aspectos particulares do mistério de Cristo. Nelas o mistério é venerado em sua globalidade, especialmente nos domingos. Este é chamado de Tempo Comum. Isso pode dar ideia de não ser um momento importante dentro do ano litúrgico, porém, isso não é verdade.

Cada tempo litúrgico tem sua importância e necessidade. É um período sem grandes acontecimentos. Nele mostra-se Deus presente nas coisas mais simples. É um tempo de esperança, de acolhimento da Palavra de Deus.

Chama-se “tempo comum” para distinguir dos demais momentos. No Ano Litúrgico, como na vida de cada pessoa, existem tempos fortes de festa e tempos ordinários, comuns. Ele é dividido em duas partes, de forma que a Igreja celebre a encarnação, vida, morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo. A primeira começa depois do Natal e vai até o início da Quaresma. E ela é retomada após o Tempo Pascal indo até o Tempo do Advento.

Portanto, o Tempo Comum reporta gradativamente àqueles grandes mistérios, na medida em que nos apresenta a vida pública de Jesus e sua obra de salvação. É o caminhar com Cristo durante o ano, acolhendo o anúncio da boa notícia. A cor predominante do Tempo Comum é o verde que simboliza crescimento e esperança.

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).