Ritapolitanos iniciam festejos em honra à Santa dos Impossíveis

Conhecida entre os católicos como a santa das causas impossíveis, Santa Rita de Cássia é uma santa popular que arrasta milhares de devotos. Na pequena cidade de Ritápolis não é diferente. Com início das transmissões da novena festiva nesta quarta-feira, 13, estima-se que diversos paroquianos, romeiros e turistas devem acompanhar as celebrações pela página no facebook e fazer suas preces e orações.

Santa Rita de Cássia nasceu na Itália em 1381, casou, teve filhos, mas passou os últimos 14 anos de vida em um convento. A canonização só aconteceu em 1900 e à Santa são atribuídos vários milagres.

Confira a programação:

Sobre a atual situação da pandemia e isolamento social, o pároco, padre Adriano Tércio Melo de Oliveira, juntamente com a equipe paroquial, emitiram uma carta aos paroquianos e devotos. Veja:

CARTA AOS PAROQUIANOS E DEMAIS DEVOTOS DE SANTA RITA DE CÁSSIA

Caríssimos irmãos e irmãs em Nosso Senhor Jesus Cristo,

Desde quando a pandemia da covid-19 chegou ao Brasil e começamos a nos isolar socialmente para evitar a sua propagação entre nós, desde quando a Igreja Católica no Brasil, em particular a nossa Diocese, tomou atitudes difíceis, mas necessárias, como a proibição de realização de qualquer atividade religiosa que aglomerasse pessoas e a orientação de que as Missas, a partir de então, deveriam ser celebradas sem a participação do povo e transmitidas de alguma forma, estamos refletindo como poderia ser realizado o Jubileu de Santa Rita de Cássia. Pensamos, inicialmente, em manter o Santuário aberto em alguns períodos e realizar, no dia 22 de maio, um cortejo com a imagem de Santa Rita de Cássia, além da programação já divulgada.

Para decidir se seria possível fazer essa procissão, com a imagem sendo levada num carro e sem o povo, foi agendada uma reunião entre autoridades e representantes, na sede da Prefeitura Municipal de Ritápolis. Nesse encontro, depois de algumas trocas de informações, foi nos informado que o Comitê Municipal de Enfretamento à Covid-19 havia decidido, numa reunião no dia anterior, que não poderia ser realizado o cortejo com a imagem de nossa padroeira. E nos foi pedido, por orientação desse Comitê, que o acesso ao Santuário não fosse permitido, tendo em vista que poderia ocorrer a disseminação do novo coronavírus.

A Paróquia de Santa Rita de Cássia, a fim de evitar a propagação dessa doença, preocupada com a integridade física do Povo de Deus, aceitou de bom grado as determinações e as sugestões. Sabemos que nossa maior preocupação é a saúde espiritual dos fiéis. Contudo, é importante que nos cuidemos por inteiro. Para sanar parcialmente essa lacuna proporcionada pelo cancelamento de tantos atos da nossa tradicional festa, montamos uma programação especial que será por completo transmitida pelas redes sociais da nossa Paróquia.

Queremos salientar que a realização de um cortejo com uma imagem tão querida pelo nosso povo poderia provocar aglomerações nas ruas e nas praças. Não há como impedir o acesso à Praça Tiradentes, não há como não permitir que os fiéis, que moram em vias pelas quais a procissão não passaria, saíssem de suas casas e a acompanhassem de lugares de onde a imagem da santa dos impossíveis estaria passando. Também não seria possível impedir que motoristas pegassem seus veículos e seguissem o cortejo. Não haveria possibilidade de proibir que jovens e crianças fizessem o percurso em suas bicicletas. Pensando em você, paroquiano, devoto de Santa Rita de Cássia, e na sua família, que é composta por pessoas já enfermas e por idosos, acatamos a decisão do supracitado Comitê e comungamos, agora, da mesma ideia.

Da mesma forma, o total fechamento da nossa Igreja Matriz se deve à preocupação com a possibilidade de diversas pessoas, de Ritápolis e de outras cidades, virem até ela. Não sabemos quem está ou não doente. Talvez nem mesmo quem esteja com a covid-19 saiba, o que poderia provocar a sua propagação entre fiéis de nossa cidade e de outras cidades. Não queremos isso. Deus e Santa Rita de Cássia não querem isso, embora Ele esteja permitindo, por motivos que só a Ele cabe saber no momento, o avanço dessa pandemia.

Ademais, é essencial expor que, caso alguma pessoa se contaminasse num ato promovido por ocasião do Jubileu ou mesmo em visita ao Santuário nestes dias em que poderíamos receber inúmeros fiéis, a Paróquia poderia responder civilmente por isso, ou seja, poderia sofrer consequências de ordem jurídica por não ter seguido as orientações dadas, como multas e indenizações, o que, temos certeza, nenhum de nós quer. Nosso Senhor e nossa patrona também não desejam isso.

Santa Rita de Cássia está na eternidade de Deus, ciente de que não podemos homenageá-la agora, como todos nós gostaríamos. Sim, queremos, mas não podemos, não nos é conveniente neste momento. E, para acalmar o seu coração, reafirmamos que ela sabe disso e quer que nos cuidemos. Convidamos você e sua família, nestes dias, para se juntarem a tantos outros devotos e rezarem de sua casa, acompanhando-nos pelas redes sociais. Nossa Padroeira está no Céu e olha por nós, consolando-nos e auxiliando-nos a ter mais fé, rezando por nós e, da mesma forma, amando-nos.

Ouça os apelos das autoridades e dos cientistas: fique em casa! Cuide de você e de sua saúde. Cuidemos uns dos outros, para que, juntos, em momento oportuno, possamos celebrar através dos exemplos e da intercessão de nossa Padroeira, com mais fervor ainda, os mistérios da nossa salvação.

Que a bênção de Deus todo-poderoso, pela intercessão de Nossa Senhora de Fátima, de São José e de Santa Rita de Cássia, venha sobre todos vocês!

Em Nosso Senhor Jesus Cristo,

Padre Adriano Tércio Melo de Oliveira

Pároco da Paróquia de Santa Rita de Cássia

Equipe Organizadora do Jubileu de Santa Rita de Cássia

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).