Romarias, práticas devocionais e muita oração marcaram Jubileu em Nazareno

O nascimento de Nossa Senhora ou a Natividade de Maria é uma festa litúrgica da Igreja Católica, celebrada no dia 8 de setembro, nove meses após a sua Imaculada Conceição. De acordo com a tradição, Maria nasceu de pais já velhos e estéreis, chamados Joaquim e Ana. A paciência e a resignação com que sofriam a esterilidade levaram-lhes ao prêmio de ter por filha aquela que havia de ser a Mãe de Jesus.

Nessa data, muitas festas são realizadas em todo o país. Na região, os festejos se concentram na cidade de nazareno, 53 km de São João del-Rei. A celebração religiosa atraiu os olhares dos fiéis, devotos, que sempre se fizeram romeiros da Virgem Maria. São dias de celebração que preencheram a expectativa de milhares de devotos que por lá se dirigiram para poder prestar culto e recorrer à poderosa intercessão de Nossa Senhora de Nazaré, que há tanto tempo protege e abençoa aquela cidade, seus habitantes e os romeiros do Santuário. Nesse mesmo clima, em sintonia com a Igreja no Brasil, a festa teve como temática o terceiro Ano Vocacional – Vocação: Graça e Missão – “Corações ardentes, pés a caminho” Lc 24,32-33.

Ao celebrar Nossa Senhora de Nazaré, serva da Palavra de Deus, a comunidade paroquial quis percorrer os Evangelhos, trazendo à memória alguns encontros de Jesus que marcaram corações, se conectando com Jesus nos seus encontros com: João Batista (Mt 3,1-17), os quatro primeiros discípulos: Pedro e André, Tiago e João (Mc 1,16-20), o leproso (Mc 1,40-45), o centurião romano (Mt 8,5-13), o paralítico e Levi (Mc 2,1-17), Bartimeu (Mc 10,42-52), a mulher surpreendida em adultério (o 8,1-11), o homem rico (Mc 10,17-23) e
Maria de Nazaré.

A cidade se movimenta de forma peculiar nesses dias, a passagem dos peregrinos, romeiros e devotos se intensificam na busca pela intercessão da Senhora de Nazaré. As ruas da cidade ficam tomadas pelo agito das barracas e barraqueiros, marcando aquilo que os nazarenenses já estão acostumados, que é a parte social intensa. Segundo o bispo diocesano, Dom José Eudes Campos do Nascimento, essa peregrinação é uma bela demostrarão devocional. ”Um Santuário diocesano é onde o povo recorre, prestando sua homenagem, sua oração a Maria. E sobretudo aqui em Nazareno a bela devoção a Nossa Senhora de Nazaré. E queremos pedir a ela sua proteção por nossas famílias, pelo Brasil e pelo mundo e sobretudo queremos pedir que na festa da Natividade possamos dar um presente a ela: Nossa Participação na vida da comunidade”, explica.

O Jubileu de Nossa Senhora de Nazaré é um tempo de graças e bênçãos para a comunidade paroquial de Nazareno e de todos os devotos da Imaculada Virgem que acorrem ao seu Santuário. Depois de nove dias de novena preparatória todos puderam participar de um belíssimo jubileu celebrado nos dias 7, 8 e 9 de setembro, terminando dia 10 dedicado à Santo Antônio. Diversas celebrações, pregações e encontros aconteceram e puderam trazer a presença de Deus à todos os que estavam presentes de forma física ou acompanhando tudo pelos meios de comunicação. Filhos, vindos de perto ou de longe, ao encontro da Mãe de Nazaré, puderam olhar nos olhos dela e prestar a sua homenagem, entregar suas vidas para que Ela tome conta e prepare os caminhos.

Talvez uma das maiores manifestações de amor é fé seja a romaria até o santuário e muitos, com coragem, saíram de suas casas a pé e seguiram o caminho ao encontro de Nossa Senhora sem pensar nas dificuldades ou nas dores, pois Nela tinham confiança. De acordo com Rodrigo Augusto, secretário de pastoral da paróquia – e que desde 2012 ajuda na linha de frente da organização do Jubileu – “muito mais que devoto de Nossa Senhora de Nazaré sou filho da Mãe terníssima de Deus. É no seu trono e aos seus pés que tantas vezes levei os meus pedidos e rendi o meu agradecimento por tantos caminhos abertos e rescritos. Nossa Senhora de Nazaré marca a minha história como a de todos os nazareneses. Louvo a Deus por permitir que nossa cidade seja edificada por uma fé tão bonita e amparada maternalmente por uma Senhora que nunca nos desampara e nos leva sempre a Jesus”.

A devoção à Mãe de Deus enche por completo a vida do fiel devoto que encontra Nela caminho e referência para uma vida dedicada a Jesus Cristo. Para Janúzia, a festa é sinônimo de conversão e maior aproximação de Jesus Cristo. “Sabemos que Nossa Senhora nos pega pela mão e nos leva a Jesus. O fim último de nossa fé à Nossa Senhora é chegar a Jesus. Ele é o centro. E ela nos ensina e nos mostra o caminho para chegar até Ele”. O Jubileu, assim, é para o povo de Nazareno sinal de alegria e esperança, pois mesmo em meio à correria da vida e as lutas que cada um enfrenta, a certeza de que Nossa Senhora ampara e protege cada filho seu permanece intacta nos corações.

Colaboração e fotos: Pascom Nossa Senhora de Nazaré | santuarionsn.blogspot.com