Solenidade da Epifania do Senhor

Mt 2,1-12

E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino.

A epifania está ligada ao Natal, esta celebração que tem origem no Oriente é anterior à celebração natalina surgida no Ocidente. A palavra epifania vem do grego e significa auto notificação, entrada poderosa de um rei ou Imperador.  Este termo também pode ser utilizado para indicar aparição de uma divindade. No Oriente a epifania indica a festa do natal do Senhor, a sua aparição na carne.

Epifania é a manifestação de Deus. A primeira manifestação foi ao povo judeu, no presépio e na escritura essa manifestação é representada nos pastores, depois Cristo se manifestou aos povos gentios, representados pelos magos do oriente. Como menino, Cristo se manifesta a nós, em nós e por nós, Ele quer continuar manifestando-se ao mundo. Ele, como a estrela de Belém, guia-nos para a missão e testemunho de vida. Por um lado, somos guiados pela Estrela-Sol nascente para a missão, por outro lado, Cristo torna-nos estrela para os outros.

O Evangelho desta solenidade é retirado de Mt 2,1-12 e nos apresenta a visita dos magos a Jesus. Esse relato não é uma reportagem jornalística ou biográfico, na verdade é um ensinamento dado pelo evangelista Mateus a respeito daquilo que será a vida e missão de Jesus.

Note bem, que o centro do evangelho gira em torno dos Magos vindos do oriente. A palavra “mago” em grego pode abarcar inúmeros significados como: mágicos, feiticeiros, charlatães, sacerdotes persas, propagandistas religiosos, etc. No caso do evangelho pode designar astrólogos mesopotâmios, que entram em contato com o messianismo judaico. Seja como for, os “Magos” representam, no evangelho de Mateus, os povos estrangeiros de que falava a primeira leitura (cf. Is 60,1-6), que se põem a caminho de Jerusalém com as suas riquezas (ouro e incenso) para encontrar a luz salvadora de Deus que brilha sobre a cidade.

Essa perícope do evangelho nos anuncia que Jesus vai ser rejeitado pelo seu povo e acolhido pelos pagãos que formarão o novo povo de Deus. É interessante perceber que o itinerário seguido pelos magos é o mesmo que os pagãos farão para encontrar Jesus: estão atentos aos sinais (estrela), percebem que Jesus traz a salvação, põem-se decididamente a caminho para O encontrar, perguntam aos judeus – que conhecem as Escrituras – o que fazer, encontram Jesus. Em síntese a epifania significa a manifestação de Jesus ao mundo pagão, a um grupo de pessoas que diferentemente dos judeus acolhe e adere a fé em Cristo como o messias.