Corpo de Dom Célio é sepultado em Itaúna/MG

Celebração de Missa e sepultamento marcaram o terceiro e ultimo dia do velório de Dom Célio de Oliveira Goulart. Na manhã de domingo, 21, o arcebispo Dom Gil Antônio Moreira presidiu os Ritos de Exéquias na Matriz de Sant’Ana, na cidade de Itaúna, oeste de Minas Gerais. O corpo foi sepultado no Cemitério Central.

O corpo do bispo chegou na cidade de Itaúna na manhã de sábado, 20. Logo na entrada da cidade, os moradores já manifestaram os sentimentos de perda. Direcionado para a Matriz, de Sant’Ana, houve celebrações de missas e continuidade do velório do religioso.

Fotografia: Padre Romualdo

Já na manhã de domingo, bispos, padres, religiosos, familiares e amigos se reuniram novamente para a Celebração de Exéquias (Missa de Corpo Presente). Presidida pelo arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, a cerimônia recordou os feitos de Dom Célio e os ensinamentos deixados pelo sacerdote. Durante a homilia, Dom Gil destacou a figura da cruz na vida de Dom Célio e falou da humildade pregada por ele.

Ordenado em 12 de julho de 1969 pela Ordem dos Frades Menores (OFM), Dom Célio sempre trilhou os ensinamentos do “Pai Seráfico”, São Francisco de Assis. “Lembro do Dom Célio pela sua simplicidade e acolhimento. Isso há muitos anos, enquanto era frei. Sem dúvida ele abraçou o carisma e levou para sua vida”, explica frei José Roberto Garcia Lima.

No fim da missa os franciscanos prestaram homenagens ao bispo, associando sua vida com a do jovem santo de Assis. No fim, uma benção foi concedida pelos religiosos da ordem.

Ao som da música “Oração de São Francisco”, um momento de forte emoção: a retirada das Insígnias Episcopais (anel, cruz peitoral, solidéu e báculo). Os objetos acompanharam a vida episcopal de Dom Célio e estavam junto dele, na urna mortuária. “Ele não foi apenas um bispo. Foi pai, irmão, amigo e companheiro. Alguém sempre presente nas nossas vidas. Alguém muito carinho”, expressa padre Odair Carvalho.

Após a encomendação, o corpo foi levado para o Cemitério Central para a benção do túmulo e sepultamento no jazigo da família, junto de seus pais.

Dom Célio de Oliveira Goulart tinha 73 anos e vinha lutando, desde dezembro de 2016, contra um câncer de pâncreas. O religioso tomou posse como bispo da Diocese de São João del-Rei no dia 17 de julho de 2010 e veio a falecer na madrugada de sexta-feira, 19.

A “Missa de Sétimo Dia” do religioso será na quinta-feira, 25, ás 19 horas, na Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, em São João del-Rei. Nas demais paróquias da Diocese e, também, na cidade de Itaúna, haverá outras celebrações na intenção do bispo.

22 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Cursa Comunicação Social/Jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).