14º Domingo do Tempo Comum

Mt 11,25-30

Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso

Nosso evangelho é retirado de Mt 11,25-30 e nessa perícope vemos que Jesus sabe que a sua proposta salvadora que é rejeitada pelos habitantes das cidades do lago encontrará acolhimento entre os pequeninos que anseiam pela salvação que Deus tem para lhes oferecer.

No início do evangelho vemos uma oração de louvor que Jesus dirige ao Pai, porque Ele escondeu “estas coisas” aos “sábios e inteligentes” e as revelou aos “pequeninos”. É preciso, pois, observar que a revelação não significa simples notificação. Não se trata de um processo apenas cognoscitivo. Ao contrário, exprime doação daqueles bens salvíficos que Deus preparou, desde a eternidade, para dispensá-los no tempo de sua intervenção definitiva, e por isso último, quando será instaurado o Reino sobre a terra.

Em um segundo momento (vers. 27) Jesus deixa claro para os seus interlocutores que Ele e o Pai estão em comunhão. Trata-se de uma profunda e intima comunhão e participação pessoal. Na realidade, aqui se exprime o seu ser relacionai de Filho e de Pai. A sua relação, em todo caso, não permanece fechada num dialogo limitado a dois, porque pelo Filho participamos daquilo que Ele recebeu. Através de sua mediação — e só deste modo — nos e possível entrar em comunhão com Deus.

Ao Final do evangelho (Mt 11,28-30) se vê um convite para ir ao encontro de Jesus e aceitar a sua proposta: “vinde a Mim”; “tomai sobre vós o meu jugo…”.
Entre os fariseus do tempo de Jesus, a imagem do “jugo” era aplicada à Lei de Deus. Para os fariseus, por exemplo, a Lei não era um “jugo” pesado, mas um “jugo” glorioso, que devia ser carregado com alegria.

De fato, tinham construído, ao redor da lei de Deus, uma espessa camada de prescrições minuciosas que, sob o peso de uma observância rígida escrupulosa, sufocava o impulso obediente da liberdade do homem.

Jesus mostra-se um mestre diferente, como diferente é a lei (jugo) que ensina: leve, não pesada. Ele não se impõe com a violência. Ao contrário, é solidário com os humildes e os pobres. O seu jugo, fácil de ser levado, consiste, exatamente, em imitá-lo no caminho do amor compassivo e misericordioso ao próximo. E, como a sabedoria, ele promete aos seus discípulos profunda paz em suas vidas.