15º Domingo do Tempo Comum

Ev Mt 13, 1-23

“Outras sementes caíram em terra boa e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente” (Mt 13, 8).

As leituras do domingo nos convidam a aprofundar o tema da Palavra de Deus. Deus fala aos homens. No Antigo Testamento a Palavra de Deus foi comunicada através dos Profetas, como também através dos fatos e acontecimentos. Deus se comunicou diretamente a pessoas privilegiadas. A centralidade da Palavra de  Deus prepara o fato do Novo Testamento, que vem transformar o mundo, onde esta Palavra – o Verbo – se torna carne. Hoje ainda, como no tempo de Jesus, é a Palavra que convoca e reúne a Igreja, em torno do Pai, e é no aprofundamento da Palavra que nós tomamos consciência de sermos o Povo de Deus.

Usando da parábola, Jesus diz ser a Palavra como uma semente que é semeada. Além de uma comparação para ser compreensível ao povo simples, também Ele questiona o modo como devemos estar atentos a recebê-la e fazer com que Ela frutifique em nós e, a partir de nós possa dar frutos pelo testemunho e missão que devemos realizar como cristãos.

A Palavra de Deus é Palavra de vida e de salvação que merece ser acolhida, refletida e assimilada. Nos momentos celebrativos, de modo especial na Eucaristia, a Palavra ocupa um lugar muito especial, dando-nos o sentido da celebração do Mistério Cristão que é celebrado. Nunca nos esqueçamos de que Ela ocupa a primeira parte da celebração e deverá ser proclamada solenemente da Mesa da Palavra, ou, do Ambão.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano