2º Domingo do tempo Pascal

Jo 20,19-31

“A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”

Iniciamos na semana passada o Tempo PascalOs cinquenta dias, que vão desde o domingo da Ressurreição até o domingo de Pentecostes, são celebrados no jubilo e na alegria, como um único dia de festa, ou melhor, como o grande domingo.  Os domingos são considerados domingos de páscoa e depois da Ressurreição são chamados de II, III, IV, V, VI e VII domingos da Páscoa. Este tempo sagrado de cinquenta dias conclui-se com o domingo de Pentecostes. Os primeiros oito dias do tempo pascal constituem a oitava da páscoa e são celebrados como solenidade do Senhor. A Ascensão do Senhor é celebrada no quadragésimo dia após a Páscoa, os dias após a Ascensão até o sábado antes de Pentecostes preparam-se a vinda do Espírito Santo.

Neste 2º domingo do Tempo Pascal lemos o Evangelho de Jo 20,19-31. Vemos que a comunidade fundada por Jesus está desamparada e insegura. O medo domina os apóstolos pois eles ainda não fizeram uma experiencia com o ressuscitado.

O evangelho pode ser dividido em duas partes, a primeira descreve uma aparição de Jesus em meio a uma comunidade dominada pelo medo. Vemos que Jesus aparece “no meio” da comunidade (vers. 19b). Ao aparecer “no meio deles”, Jesus se coloca como ponto de referência, fator de unidade, videira à volta da qual se enxertam os ramos. A comunidade está reunida à volta d’Ele, pois Ele é o centro onde todos vão beber essa vida que lhes permite vencer o “medo” e a hostilidade do mundo.

A esta comunidade fechada, com medo, mergulhada nas trevas de um mundo hostil, Jesus transmite a paz. A palavra paz em hebraico é o “shalome significa harmonia, serenidade, tranquilidade, confiança, vida plena. Note bem não é o entendimento moderno de paz como ausência de guerra. Jesus afirma que ele venceu a morte e por isso não é necessário ter medo.

A segunda parte do evangelho é um ensinamento sobre a fé. Para João é plenamente possível fazer uma experiencia do Ressuscitado na comunidade. Tomé representa os que estão fechados em si e não dão ouvidos aos outros membros da comunidade. Note que, Tomé só consegue fazer uma experiência com Cristo Ressuscitado na comunidade e em um dia de Domingo. É uma alusão clara ao Domingo, ao dia em que a comunidade é convocada para celebrar a Eucaristia: é no encontro com o amor fraterno, com o perdão dos irmãos, com a Palavra proclamada, com o pão de Jesus partilhado, que se descobre Jesus ressuscitado.

Lemos no evangelho que: O Senhor Ressuscitado é o centro da comunidade cristã que é a Igreja. É nessa comunidade que fazemos uma experiencia com o Ressuscitado. Por fim é só Jesus Ressuscitado quem nos dá a paz, a tranquilidade para seguir adiante sem medo.