São Vicente de Minas festeja padroeiro

“Com São Vicente Férrer, celebrando o Ano Santo da Misericórdia, fonte de alegria e paz”, este foi o tema da festa em Vicente de Minas neste ano de 2016. Iniciada no dia 28, os festejos tiveram seu ápice na última segunda-feira, 02.13124523_1080510048676048_250106922039337862_n

Logo pela manhã, os vicencianos puderam acordar com a alvorada festiva. Procissão e missa fizeram parte da programação que contou com a presença do bispo de São João del-Rei, Dom Célio de Oliveira Goulart, e demais sacerdotes da região.

Devoto do santo, Adriano Guedes aproveitou o momento para colocar sua família nas intenções. Para o rapaz, São Vicente é modelo de vida e é tido como exemplo por toda família. “Sou devoto desde pequeno. Ele é um exemplo de vida e perseverança. Mesmo com falhas, sobre reconhecer os erros e procurar seguir Cristo. Ele é um grande modelo para mim e toda a minha família”, explica.

 

Sobre o Santo
São Vicente Ferrer tornou-se sacerdote na época mais difícil da história da Igreja: em 1378 quando houve o grande cisma que perdurou até 1417, dividindo os cristãos em duas obediências: a Roma e a Avignon.13077001_1080510088676044_4829742504236672533_n

Pregava a unidade da Igreja e um milagre aconteceu: enquanto falava em sua língua materna, muitos que não eram do país ouviram-no em sua própria língua. São Vicente Ferrer tinha uma voz vigorosa e pregava tão bem que multidões ajuntavam-se para ouvi-lo nas praças, pois a Igreja não os comportava.

Fustigava os costumes, ameaçava, e chegava a ser violento em suas palavras na tentativa desesperadora de evangelizar. Dois anos antes de morrer, São Vicente Ferrer teve o consolo de ver a Igreja novamente unida: em 1417. Realmente, Deus chama os homens certos para os momentos críticos do povo e da Igreja.

13092178_1080511128675940_2594998017376749076_nRecomposta a unidade da Igreja no concílio de Constância, viajou para a França na tentativa de por fim à guerra dos Cem anos. Ainda hoje na Espanha é costume dizer ” Beba a água do Mestre Vicente!” – quando se deseja incutir o silêncio. Este fora um conselho que São Vicente Ferrer dera a uma mulher que sofria com o humor alterado com seu marido, quase sempre a brigar com ela.

E qual foi o conselho que o santo lhe deu? “Minha senhora, quando seu esposo chegar do trabalho, encha a boca de água e permaneça assim o maior número de minutos que puder. Assim não lhe será difícil não responder aos insultos dele”. São Vicente Ferrer foi chamado de “o anjo do Apocalipse” pois em suas pregações quase sempre falava dos flagelos e tribulações pelas quais haveria de passar a humanidade.

27 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).