5º Domingo do tempo Pascal

Jo 14,1-12

Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim

No 5º Domingo do Tempo da Páscoa lemos o evangelho de Jo 14,1-12 e narra episódio da ceia. A perícope começa falando da segurança dada por Jesus ao dizer que os discípulos serão admitidos na casa do Pai (14,1-3); em seguida, Jesus mostra o caminho que os discípulos haverão de seguir, esse caminho coincide com o caminho do próprio Cristo(14,4-6). A meta desta caminhada (casa do Pai) é conhecida, porque a pessoa de Jesus torna presente o Pai e o caminho é possível porque suas palavras renovam as obras do Pai (14,7-11). Por fim, vemos Jesus dizer que na caminhada não faltará ajuda aos discípulos.

Na ceia Jesus inaugura a sua comunidade dando a ela um estatuto que é o mandamento do amor. Cristo explicará qual é a sua relação com o Pai e com a comunidade que será estabelecida com a sua ida para o Pai.

Primeiramente, os seus seguidores (os membros da comunidade) são da sua família e por isso o Pai os acolherá em seu lar. E quem vai preparar esse lugar é o próprio Jesus. Contudo, o caminho até essa estada na casa do Pai não será estático, imobilizado no tempo. O caminho que a comunidade percorre identifica-se com o próprio Jesus, pois a assimilação de sua vida e morte é o caminho a ser tomado por cada um.

Em síntese podemos dizer que os discípulos de Jesus têm de percorrer um “caminho”, até chegarem a ser família de Deus. Esse “caminho” foi traçado por Jesus, na obediência a Deus e no amor aos homens. É no final desse “caminho” que os discípulos – tornados Homens Novos – encontrarão o Pai e serão integrados na família de Deus.