Batismo do Senhor

Mt 3,13-17

“Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?”

O nosso evangelho deste domingo narra o episódio em que Jesus vai até o encontro do Batista. João Batista era um profeta cuja mensagem principal dizia respeito a necessidade de conversão. A mensagem de João era acompanhada de um rito de purificação com uso de água – o batismo – um rito muito comum no judaísmo.

No evangelho temos um relato de uma teofania (manifestação divina). O relato tem duas partes: o diálogo entre João e Jesus (vers. 14-15) e a manifestação de Jesus como Filho de Deus (vers. 16-17).

No diálogo entre Jesus e João temos a explicitação do motivo pelo qual Jesus se deixa batiza. Pela resposta de Jesus, fica claro que o seu batismo é um passo necessário para que se cumpra o desígnio salvador de Deus.

Na segunda parte temos uma manifestação divina (teofania) e são três os símbolos desta manifestação: os céus abertos, o Espírito como pomba e a voz. O sinal do céu aberto indica a união entre céu e terra. A ação de Jesus vai ligar o céu e a terra. A pomba é um símbolo do Espírito de Deus que, no princípio, pairava sobre as águas; evoca a nova criação oportunizada por Jesus. A voz do céu declara que Jesus é o Filho de Deus; e o faz com uma fórmula retirada do cântico do “Servo de Iahwéh”(cf. Is 42,1).

O Batismo de Jesus nos revela que Jesus é o Filho de Deus, que o Pai envia ao mundo a fim de cumprir um projeto de salvação em favor do ser humano. Nessa cena revela-se, portanto, a preocupação de Deus e o imenso amor que Ele nos dedica.

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).