Beatificação de Isabel Cristina será neste sábado, 10, em Barbacena/MG

Começa nesta quarta-feira, 7 de dezembro, às 19h, no Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena, o tríduo em preparação à beatificação de Isabel Cristina. Os três dias consecutivos de preparação espiritual e de oração serão transmitidos ao vivo pelas redes sociais da Arquidiocese de Mariana e da Paróquia e Santuário Nossa Senhora da Piedade.

Com o objetivo de ajudar a comunidade a conhecer a história de Isabel Cristina e se preparar para o dia da beatificação, que acontecerá no próximo sábado, 10 de dezembro, às 10h, no Parque de Exposições Senador Bias Fortes, em Barbacena (MG), o tríduo vai abordar os temas: “Quem foi Isabel Cristina?”, “O martírio”, e “O processo de beatificação”.

Para você acompanhar o tríduo em preparação à beatificação de Isabel Cristina, a Arquidiocese de Mariana preparou um material de instrução para os fiéis.

Faça o download desse material aqui: Tríduo em preparação à beatificação de Isabel Cristina

relatos sobre Isabel Cristina

“Uma jovem que nasceu em uma família simples. Cresceu bebendo da espiritualidade vicentina. Sempre acompanhou seus pais nas conferências de São Vicente de Paula. Cresceu fazendo trabalho voluntário junto aos pobres, aos idosos, às crianças necessitadas. Viveu a sua juventude participando da comissão de jovens, de retiros e de vários encontros. Sobreviveu nos valores da sua fé. Dava testemunho autêntico da fé, da caridade e da esperança e, sobretudo, o testemunho de uma vida casta”, descreveu o Monsenhor Danival Milagres, Coordenador Geral da cerimônia de beatificação.

Isabel Cristina Mrad Campos nasceu em 29 de julho de 1962, em Barbacena. Filha de José Mendes Campos e Helena Mrad Campos, ela se mudou para Juiz de Fora em 1982, para fazer um curso pré-vestibular para medicina.

No dia 1º de setembro do mesmo ano, um homem contratado para montar um guarda-roupa no apartamento onde ela morava com o irmão, tentou violentá-la. Isabel resistiu à violência, mas foi golpeada por uma cadeira na cabeça, amarrada, amordaçada e teve as roupas rasgadas. Como resistiu ao estupro, ela foi morta com 15 facadas, aos 20 anos.

Conforme a Arquidiocese de Mariana, Isabel tinha uma vida normal, estudava, namorava e participava de festas, mas tinha uma vida de oração, era dedicada à Igreja Católica e sonhava em ser pediatra para ajudar crianças carentes.

A forma como foi morta, mas sobretudo como viveu, motivou um grupo de pessoas a entrar com o pedido do processo para a beatificação da mineira.

Como Isabel foi batizada e fez a Primeira Comunhão na Matriz da Piedade, da cidade de Barbacena, pela ligação afetiva dos pais dela com a paróquia, foi decidido que os restos mortais ficariam no Santuário da Piedade.

O legado de Isabel Cristina para a sociedade

O legado da virgem e mártir Isabel Cristina está justamente no seu testemunho de sua vida. Ela é mártir não só pela forma que morreu, mas sobretudo como ela viveu sua fé, sendo uma testemunha da caridade. Isabel não teve vergonha de ser cristã, de ser uma jovem atuante e participante das atividades paroquiais. Em sua biografia vemos seu empenho em favor dos pobres, doentes e crianças.

Para a sociedade muitas vezes relativista e hedonista, Isabel Cristina deixa o exemplo de quem soube viver uma vida simples. A Serva de Deus deixa um legado especialmente aos jovens, um modelo de coragem, determinação, esperança, seu amor a Deus e a Igreja e por fim seu amor ao próximo. Ela também não teve medo de abrir mão dos momentos de prazer deste mundo para conservar no coração as verdades e a dignidade da fé católica e da pessoa humana. Isabel nutria um profundo respeito pela vida e pelo ser humano.

Ela morreu defendendo sua dignidade e os valores da castidade. No contexto atual, Isabel foi vítima de um feminicídio. O agressor de Isabel tentou ferozmente abusar dela sexualmente, mas Isabel defende os valores da sua fé resistindo e é morta violentamente.

O modo como ela viveu sua vida e sua fé é exemplo para nós. Em Isabel Cristina vemos um autêntico testemunho de fé, na comunhão com a Igreja e nos valores evangélicos.

Saiba como foi o processo de beatificação de Isabel Cristina

A solicitação para a abertura do processo de beatificação foi aceita por Roma em 2001, quando foi instalado o procedimento na Arquidiocese de Mariana e Isabel Cristina recebeu o título de Serva de Deus.

“Seu processo de beatificação foi iniciado por Dom Luciano Mendes de Almeida, no dia 26 de janeiro de 2001. Em 2009, encerrou-se o processo na fase diocesana, uma celebração presidida por Dom Geraldo Lyrio Rocha, na qual houve o traslado dos restos mortais da serva de Deus para o Santuário de Nossa Senhora da Piedade, onde se encontra até o prezado momento. Em 27 de outubro de 2020, temos a alegre notícia do Papa Francisco reconhecendo o martírio da jovem Isabel Cristina. E, neste ano, tivemos a alegre notícia da sua beatificação”, relatou o Monsenhor Danival Milagres.

A morte violenta foi considerada pelos católicos como um martírio e os fiéis compararam a jovem à santa Maria Goretti, que também morreu lutando contra o agressor dela. O túmulo dela fica no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena, e recebe muitas visitas de fiéis, que são devotos da Serva de Deus, rezam para ela e pedem graças.

acompanhe a cerimônia de beatificação:

Informações: arqmariana.com.br | G1 | vaticannews.va