Comissão de Catequese divulga orientações para 2º semestre de 2021

A Comissão Diocesana de Catequese divulgou nesta semana, após a reunião remota realizada no dia 15 de junho, as orientações para os Centros Catequéticos e catequistas para atuação no segundo semestre de 2021. Devido a pandemia do Coronavírus e as novas regras de prevenção, os encontros de catequeses foram interrompidos ou adaptados. O documento foi assinado pelo Assessor Diocesano, padre Jorge Wilson Fonseca. Confira:

Partilha do primeiro semestre e orientações para o segundo semestre 2021

Prezados párocos, coordenadores de catequese e catequistas,

No dia 15 de Junho de 2021 a Comissão Diocesana de Catequese se reuniu de forma online, com ampla maioria de seus representantes. Fizemos um panorama geral de nossa diocese, que agora partilhamos:

– A maioria de nossas paróquias tem lutado incansavelmente para manter o contato online com nossos catequizandos ou através de correspondências deixadas nas secretarias paroquiais ou encaminhadas por transportes municipais à área rural;

– Uma minoria conseguiu estabelecer processos em vista dos Sacramentos, pois muitos de nossos catequistas não conseguem lidar com os meios tecnológicos. Os catequizandos da área rural e os mais vulneráveis de nossas periferias também apresentaram dificuldades.

– Percebemos que os processos se deram com mais facilidades nas paróquias situadas no centro, sobretudo naquelas em que o contingente rural é pequeno e que o número de catequizandos é reduzido, salvaguardando algumas exceções.

– Muitos catequistas, por não possuírem manejo tecnológico, serem portadores de comorbidades e pertencerem ao grupo de risco pela idade, ficaram limitados em seus serviços. Alguns, infelizmente, abandonaram a missão.

– Nas paróquias em que se estabeleceram processos e conseguiram dar sequenciamento no material, houve Crisma e Primeira Comunhão. O sucesso maior, nesta minoria de paróquias, deu-se na Crisma, por ser um grupo mais intenso no uso das mídias sociais e mais reduzido, obviamente.

–  Há um intenso ardor missionário nos catequistas que não abandonaram a missão neste período de grandes dificuldades. Por isso, nossa gratidão a todos que abraçaram as cruzes deste tempo pandêmico.

 

Orientações para o segundo semestre:

Permanece a orientação desta comissão para uma catequese online ou por correspondências. O cenário inseguro em que nos encontramos nesta pandemia não nos leva a abrir nossas salas de catequese. Nosso Regional Leste II continua insistindo que as paróquias devem aproveitar o atual momento para formarem melhor seus catequistas, pois muitos desafios serão apresentados no retorno da catequese presencial: famílias abaladas psicologicamente, fortes acentuações de miséria, afastamento de muitos fiéis que se acomodaram com as estruturas atuais etc. Os catequistas terão de acentuar sua ação missionária na vida da Igreja.

– As paróquias que estão conseguindo desenvolver processos neste período e dão garantias de que os catequizandos estão preparados, têm total liberdade de marcarem os sacramentos da Primeira Comunhão e da Crisma. Somos sabedores de que, nas cidades maiores existem dificuldades nas lidas com pais e mães que fazem comparações entre as comunidades paroquiais em razão do que foi exposto. Não devemos fazer uma análise rasa diante desse discurso. Devemos aproveitar o problema e pontuar algumas dificuldades que não foram sanadas no passado, tais como: ausência de formação digital para os catequistas, falta de renovação do corpo catequético (estimulando jovens a assumirem esse trabalho da catequese na era digital), maior divisão nas áreas de missão (como as grandes paróquias têm sofrido – quanto maior a paróquia, maior o desafio de atingir os catequizandos). O essencial é não fazer por fazer (só porque uma comunidade conseguiu atingir outros patamares) cada paróquia é uma realidade singular. Os párocos em comunhão com suas coordenações de catequese devem analisar com equilíbrio sua realidade e ponderar o que pode ser concretizado.

– Uma outra realidade deve ser observada: as comunidades rurais. Há uma grande defasagem no corpo catequético nessas áreas. Estabelecer um trabalho intenso na área urbana e desmerecer os catequizandos em tais áreas é algo questionador. Esperamos que as paróquias que ofereceram e oferecerão os Sacramentos neste tempo de pandemia não tenham priorizado apenas uma ala. Se não há como atingir a ampla maioria, esta comissão orienta que não sejam concretizados os Sacramentos neste período em que vivemos.

– É necessário informar que esta comissão apenas orienta. Não temos poder de decreto. Estamos a serviço da Diocese como instrumento que ajuda os catequistas na difícil, porém gratificante, missão de evangelizar.

O Ministério do Catequista através do Motu proprio “Antiquum ministerium”

Foi publicado no dia 11/05 o Motu proprio “Antiquum ministerium” com o qual o Papa Francisco institui o ministério de catequista. O texto foi assinado no dia 10 de maio, memória litúrgica de São João de Ávila, presbítero e doutor da Igreja.

Nossa comissão está pensando num evento online, com um representante de cada paróquia, para termos noções iniciais do documento em questão. Fizemos contato com o Regional Leste II e estamos aguardando indicação de um assessor.

Orientamos que não haja nenhuma cerimônia de instituição antes que a Diocese estabeleça os critérios e o Rito para esse momento. Vamos primeiro estudar e aguardar os subsídios do Regional.

26 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).