Como enfrentar o transtorno alimentar durante a pandemia?

Desde o início do isolamento social, as pessoas já relatavam o aumento no consumo de alimentos, especialmente os carboidratos. Mas como entender quando isso se torna perigoso? E diante de uma situação de estresse, como a que vivemos, será que é um escape permitido?

No dia 2 de junho foi celebrado o Dia Mundial de Conscientização Sobre os Transtornos Alimentares. Para muitos que travam uma batalha com transtorno de compulsão alimentar ou algum outro distúrbio, essa data se tornou mais significativa do que nos anos anteriores. Afinal, um transtorno alimentar em época de quarentena e isolamento social tende a ser ainda mais difícil e desafiador. Como enfrentar durante a pandemia?

Dicas para não perder o controle nessa quarentena:

  • Crie uma rotina de sono, acorde no mesmo horário todos os dias e vá dormir também no mesmo horário;
  • Tenha os horários para se alimentar e não pule refeições, isso irá ajudar a evitar que coma muito em somente um horário.
  • Crie uma uma rotina alimentar, tenha horários para comer, e dívida suas refeições durante o dia.
  • Beba água, ela é importante para diversas funções, uma delas é a imunidade.
  • Coma vegetais, frutas, cereais integrais como aveia por exemplo, eles são ricos em vitaminas que irá precisar para manter a saúde e imunidade, além de ser ricos em fibras que ajuda na saciedade.
  • Reconheça sua fome, às vezes é somente uma vontade de comer e não necessariamente a fome.
  • Saiba escolher seus alimentos, e a quantidade que irá comer de cada um deles, um brigadeiro é bom, dez já são demais.
  • Lembre-se que nenhum alimento sozinho tem capacidade de te engordar, e sim a quantidade que come dele.
  • Seja feliz e não se culpe, estamos todos ansiosos, mas não tem ninguém que possa cuidar tão bem de você, como você mesmo.
25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).