Coroinha de Dom Eudes será ordenado padre neste domingo, 08, em Catas Altas da Noruega

No dia que a Igreja celebra a Solenidade de Nossa Senhora da Conceição, Valmir Andrade dos Santos marcará sua vida com os votos sacerdotais. O desejo veio na infância, aos 4 anos, motivado pela admiração das vestimentas clericais. Valmir foi coroinha e serviu os altares de Catas Altas da Noruega/MG, inclusive, nos tempos em que Dom José Eudes Nascimento, desempenhava a função de padre na região.

Uma brincadeira de criança que vem se tornando realidade. “Era um tempo tão diferente, brincadeiras inocentes, rezava missa na sala, vovô sentado me respondia. Sua presença era minha alegria”, explica.

O café era o vinho e as fatias de banana representavam a hóstia. “As vezes ganhava retalhos de hóstias da Dona Corina que trabalhava na casa paroquial. Quando era uma ‘solenidade’, pegava uma latinha de molho de tomate e fazia de turíbulo. Para fazer fumaça, colocava papéis e espuma de colchão na brasa dentro da latinha. Tinha outros amigos que brincavam comigo também e cada um foi descobrindo a sua vocação”, recorda Valmir.

A brincadeira foi despertando o interesse do jovem que se viu incentivado pelo pároco, hoje, bispo de São João del-Rei. “Dom Eudes era pároco em Catas Altas da Noruega e sua mãe, Dona Virgínia, formou um novo grupo de coroinhas mais consistente. Éramos mais ou menos uns trinta. Me recordo da investidura com uma túnica marrom. Foi uma festa. Sempre o ajudava nas missas e gostava de acompanhá-lo até a casa paroquial após as missas que eram celebradas na capelinha do Santíssimo. Nessa época tinha oito anos de idade”.

Dom José Eudes acompanhou o crescimento de Valmir e apresentou a ele o que viria a ser o seu bem mais precioso: Jesus Eucarístico. “Foi Dom Eudes que fez minha primeira Eucaristia. Foi no Ginásio, onde serei ordenado presbítero. Gostava de imitá-lo. Numa gincana de escola tirei o primeiro lugar imitando-o. Hoje não faço mais isso em público. O jeito de ser de Dom Eudes é muito cativante e animador. Ele tem a alegria do Evangelho, anima e incentiva as pessoas, os jovens no seguimento Jesus”, destaca.

Em 2007 Valmir conheceu a família Orionita e iniciou seus estudos no Seminário menor Dom Carlos Sterpi. Em 2010 fez o ano canônico do noviciado em Brasília e professou os primeiros votos (pobreza, castidade, obediência) em janeiro de 2011, sendo destinado para o tirocínio em Araguaína/TO, no Seminário Padre Pattarello.

Cursou Filosofia na Faculdade Católica de Fortaleza e Teologia no Instituto Santo Tomás de Aquino em Belo Horizonte. Em 03 de novembro de 2018, Valmir fez os votos perpétuos e ordenou-se diácono. “Minha caminhada foi serena e sou feliz por seguir Jesus nos passos de São Luis Orione, que nos ensina a fazer o bem sempre, o bem a todos e o mal nunca e a ninguém”.

Servindo de modelo e incentivador da vocação, Dom José Eudes se deslocará para Catas Altas da Noruega/MG para conduzir a cerimônia. Segundo Valmir, Dom Eudes e sua mãe, dona Virgínia, foram pessoas muito marcantes na comunidade paroquial e na sua vida e de toda a família.

“É um amigo. Foi sempre muito presente na vida da minha família. Um verdadeiro pastor de almas. Digamos que criamos, durante o exercício de seu ministério presbiteral em Catas Altas, um laço de amizade muito forte que agora com minha ordenação presbiteral será estreitado. Gostaria de lembrar também que foi Dom Eudes que me levou a primeira vez na casa da Mãe, em Aparecida/SP, quando eu era coroinha e isso me marcou muito”.

O pedido, veio há anos. “Quando saiu sua nomeação para bispo, estava em Araguaína/TO, logo, liguei para ele e disse que ele me ordenaria padre com a graça de Deus e as bênçãos de Nossa Senhora das Graças. Isso se concretizará neste domingo”, reforça.

Com a proximidade da data, Valmir reforça a importância da atenção e acolhida do sacerdote com as crianças e jovens que sentem interesse na vida sacerdotal. São gestos simples que fazem a diferença e estimulam novas vocações. “Seguindo a analogia da Carta de Paulo (1Cor 3:6), diria que “padre Luis Gonzaga plantou, Dom Eudes e outros presbíteros, regaram, e Deus fez frutificar. Me tornarei um padre feliz e realizado na missão  de cativar as vocações”.

A cerimônia vai acontecer no Ginásio poliesportivo de Catas Altas da Noruega/MG, às 10 horas. Sua primeira missa está prevista para o mesmo dia, às 19:30 horas, no Santuário de Nossa Senhora das Graças.

25 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).