Daniel Josino é ordenado diácono em São João del-Rei

A Diocese de São João del-Rei ganhou um novo diácono na manhã de sábado, 05 de fevereiro. Pela imposição das mãos de Dom José Eudes Campos do Nascimento o jovem Daniel Nicodemos Josino foi ordenado para o primeiro grau do sacramento da Ordem.

Com a Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar repleta e com a presença de diversos padres e familiares – todos de máscara e respeitando as normas sanitárias de prevenção ao coronavírus – a celebração logo introduziu os participantes a esta festa da ordenação para o ministério do serviço.

Os diáconos estão encarregados de executar o “serviço do ministério de Deus”, deixando de ser um leigo e passando a pertencer ao grupo do clero. A palavra diácono surgiu a partir do grego diakonos, que significa “atendente” ou “servente”. De acordo com a doutrina, o diácono católico é o “servo de Deus”, espalhando a Sua palavra e ajudando a construir o Seu reino junto aos fiéis na terra, de acordo com as necessidades da igreja.

A cerimônia foi presidida pelo bispo diocesano, Dom José Eudes Campos do Nascimento, e concelebrada pelo bispo eleito de Camaçari/BA, Dom Dirceu de Oliveira Medeiros, e demais padres da Diocese.

Durante a Homilia, Dom José destacou a importância do apoio da família na caminhada vocacional. “Toda vocação é cultivada como uma planta frágil e a família é o primeiro canteiro onde a semente da vocação é cultivada. Certamente o testemunho dos pais marcaram a vida do Daniel. Feliz da família que pode oferecer um dos seus filhos para o serviço da Igreja”.

Para Daniel, a ordenação diaconal representa a concretização de um sonho de infância: o desejo de ser padre. “Acredito que esse é o chamado do Senhor. Percebo desde quando era criança, porém, só respondi de fato na juventude. Vale muito a pena dizer sim ao Senhor Deus. Embora as dificuldades existam, elas servem para nos fazer crescer. Penso que são como que um luzeiro que nos mostra a face de Cristo, pois em meio as dificuldades sempre podemos nos aproximar dele com coragem para escutar a sua voz. Também, não posso me esquecer da sempre presente materna intercessão de Maria, forte sustentáculo na hora das dúvidas e provações”, pontua.

O rito essencial da ordenação diaconal é a imposição das mãos e a oração realizada pelo Bispo. Esta oração pede a Deus Pai que consagre os ordenandos como diáconos e que envie sobre ele os dons do Espírito Santo para que ele possa exercer com fidelidade o ministério de serviço. “Quando somos ordenados diáconos entramos para o Sacramento da ordem para sempre. Depois, mesmo sendo ordenado presbítero, a graça do diaconato não passa. É a graça de servir como Cristo se serve”, explica o pároco da Catedral, padre Geraldo Magela.

A celebração também marcou a abertura das comemorações dos 60 anos do Seminário Diocesano São Tiago. É no Seminário que tem início o processo de amadurecimento da vida espiritual de um vocacionado ao sacerdócio, por meio de uma rotina de oração individual e comunitária. Com o lema “Christum ferent” (Levarão Cristo) gravado no brasão, a instituição busca mostrar que ali os jovens encontrarão a paz e a pureza vivendo debaixo da proteção maternal de Nossa Senhora do Pilar e onde se formarão, no zelo do Apóstolo São Tiago, como futuros portadores de Cristo.

Segundo o reitor do seminário, padre Javé Domingos, a história se baseia em diversos fato. “Calculamos o período de 60 anos de muitos acontecimentos. Tempo marcado por lutas e vitórias, dificuldades e conquistas. De muitos desafios, de recursos escassos e de uma vida aos limites da simplicidade. O Seminário soube se reinventar e superar com fé e criatividade, permitindo perceber a ação de Deus ao longo do tempo. Agora é tempo de agradecer, colocar no altar o tempo da Graça de Deus”.

Fotos: Alisson Macedo | Regina Ávila