Devo esperar a pandemia passar para realizar meus sonhos?

Para responder a esta pergunta, vou me apoiar em duas passagens bíblicas. No Antigo Testamento, o sábio Salomão disse: “Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece é o propósito do Senhor”. (Prov 19,21). E o apóstolo São Paulo, na Carta aos Romanos, nos diz: “Deus coopera em tudo para o bem daqueles que O amam” (Rom 8, 28).

Não devemos esperar que a pandemia passe para realizar nossos sonhos ou projetos. Efetivamente, algumas atividades foram impossíveis de se realizar em 2020, assim como também pode acontecer em 2021, porém, a verdadeira realização do homem não está nos planos ou nas atividades que nos geram satisfação, e, sim, prioritariamente quando cumprimos o Plano de Deus para cada um de nós: isso é o que realmente prevalece e permanece. Assim, nós, como cristãos católicos, devemos confiar em que Deus está agindo de maneira muito especial neste tempo, nas vidas de cada um daqueles que confiam n’Ele e na Sua Palavra.

Sabemos que Deus é o Bom Pastor e, como diz a Sagrada Escritura, Ele conhece suas ovelhas, cuida delas, sabe o nome da cada uma; Ele vai na frente e acompanha a cada uma. Pensemos então que Ele cuida de nós e quer que sigamos sonhando, aspirando a coisas grandes e ao eterno, mas também que vejamos este tempo como uma oportunidade de aprender a discernir o que nos convêm, a escolher corretamente entre o bem e o mal, pois isso nos fará ser melhores filhos de Deus, uma vez que devemos nos assemelhar sempre mais ao Filho Eterno do Pai, o Qual confiou em tudo nas mãos de Deus Pai. Não esqueçamos que Deus é amor, e que somos todos filhos de Deus.

Certamente, neste tempo de pandemia experimentamos momentos de angústia, de incertezas, de desorientação, de vulnerabilidade; tudo isso coloquemos nas mãos do Pai, e vivamos mais a comunhão e a solidariedade, sempre buscando a nossa conversão, que é a melhor maneira de colaborar com a construção de um mundo mais humano e reconciliado.

Lembremos das palavras alentadoras do Santo Padre, o Papa Francisco, no momento extraordinário de oração que ele presidiu em 27 de março de 2020: “Demo-nos conta de estar no mesmo barco, todos frágeis e desorientados, mas ao mesmo tempo importantes e necessários: todos chamados a remar juntos (…) A tempestade desmascara a nossa vulnerabilidade e deixa a descoberto as falsas e supérfluas seguranças com que construímos os nossos programas, os nossos projetos, os nossos hábitos e prioridades”.

Fonte: A12