Devoção ao Bom Jesus leva fiéis as ruas no último fim de semana

A imagem do Cristo flagelado, coroado de espinhos, preso em uma cruz, as vezes retratado já morto ou durante seus momentos de agonia. A forte devoção ao Bom Jesus possui suas raízes em Portugal, de onde foi levada aos países de colonização portuguesa, como Brasil. Sob essa invocação, venera-se a imagem de Jesus Cristo, em diferentes episódios de sua Paixão.

Os primeiros vestígios do culto ao nosso Senhor Bom Jesus, no Brasil, remonta o século XVII, se organizando junto com os primeiros lugarejos que se tornaram cidades importantes. Em São João del-Rei, títulos como Matosinhos e do Montes nutriram devoções e auxiliaram no crescimento da região.

Construída em 1769 no antigo Morro da Forca, onde eram executados os condenados à morte no Período Colonial, a Capela dedicada ao Senhor Bom Jesus do Bonfim é um símbolo devocional. Fruto da devoção de José Garcia de Carvalho, a capela é hoje uma parte rica das histórias de São João del-Rei.

No último domingo, 06, celebrações de missas e procissão movimentaram os arredores da comunidade. Todos com o objetivo de homenagear o padroeiro.

Quem também festejou o bom Jesus neste fim de semana foi a Paróquia São José Operário, também em São João del-Rei. Neste ano, com o tema “Bom Jesus do Lenheiro, chama ardente de caridade”, a festa se estendeu até o sábado, dia 05, com tarde de louvor, missa, procissão e bênção.

As comemorações tiveram início em 2016, após a caminhada penitencial. Este momento histórico, a Diocese de São João del-Rei promoveu o encontro das quatro imagens na Catedral de Nossa Senhora do Pilar, dos vários títulos de Bom Jesus, sendo eles, do Bonfim, do Lenheiro, do Matosinhos e do Monte, existentes na cidade.