Diocese festeja Nhá Chica e bispo reforça convite para as celebrações

A Igreja celebra na próxima segunda-feira, 14, a memoria da Beata Francisca de Paula de Jesus, popularmente conhecida como Nhá Chica. Em muitas casas, pequenos altares com flores e velas já estão montados para homenagear a são-joanense que vem acarretado a devoção de muitos brasileiros.

Nascida em Santo Antônio do Rio das Mortes, distrito de São João del-Rei, a beata foi batizada nessas terras em 1810. Desde que a sua devoção chegou na vida dos moradores de forma mais intensa, no fim do século XX, Nhá chica se tornou um motivo de alegria para o povo da sua terra natal. Foi para a cidade de Baependi ainda pequena e ali viveu até sua morte. Seu trabalho de evangelização na cidade incluía o acolhimento aos mais necessitados e o aconselhamento.

Foi em Baependi que a beata viveu grande parte da sua vida e lá dedicou-se a favor dos mais pobres e necessitados e construiu a sua fama de santidade, todavia ela é um exemplo de santidade para todos que conhecem a sua história. Leiga, mulher simples, filha de escrava, analfabeta, mas nada disso a impediu de dedicar a sua vida a vivência do Evangelho e de muita oração, em especial uma terna devoção a Imaculada Conceição.

celebrando a beata

A previsão é que haja comemoração em todas as paróquias da Diocese. É o que afirma o Decreto Diocesano sobre o modo de celebrar a Memória Litúrgica da beata Francisca de Paula de Jesus, publicado por Dom Célio de Oliveira Goulart, em 20 de maio de 2013.

No decreto, Dom Célio reforça para que toda a Diocese de São João del-Rei se faça a Memória Litúrgica Obrigatória de Nhá Chica e recomenda que “seja usado o formulário próprio do Comum dos Santos e Santas, textos próprios para Santas Mulheres, substituindo o nome santa por Beata”.

No documento, pede-se também que “seja incentivado entre os fiéis leigos e leigas o verdadeiro culto à Beata Francisca de Paula de Jesus, despertando em todos a alegria de termos como modelo de vida cristã uma senhora de vida simples e abnegada, conhecida com a Mãe dos Pobres e Conselheira para todos”.

Para Dom José Eudes Campos do Nascimento, bispo de São João del-Rei, as pessoas precisam “olhar para Nhá Chica e procurar, no dia a dia, viver seus grandes exemplos, testemunhos e lições de vida.

Sem duvida um grande exemplo a ser seguido, como destaca o morador da comunidade e devoto da beata, Willian Carvalho. “Hoje, quando penso na santidade da Beata, vejo que ainda preciso melhorar muito como cristão. O quão difícil é exercer o amor ao próximo, especialmente os que mais precisam. Ela nos ensina com sua vida que a nossa capacidade de sermos santos está na capacidade de amar o próximo. Que possamos viver de forma mais intensa o nosso batismo para assim participarmos da missão salvífica da Igreja de Cristo”.

Programação

No Distrito do Rio da Mortes a programação vai contar com celebrações de missas às 09h e 19h. nesse dia a igreja ficará aberta para visitação dos fiéis. Para tal, é necessário fazer uso de máscara e se higienizar.

 

26 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).