Distrito do Rio das Mortes acolhe relíquia da Beata Nhá Chica

Após o pedido do Bispo Diocesano, Dom José Eudes, e do pároco, Padre Elissandro José Campos de Carvalho, ser atendido por Dom Pedro Cunha Cruz, Bispo da Diocese da Campanha, sinal de comunhão fraterna e espírito de unidade eclesial entre as Igrejas Particulares de São João del-Rei e Campanha, a Diocese de São João del-Rei acolheu a relíquia de primeiro grau da Beata para auxiliar, ainda mais, na devoção e na propagação do testemunho de vida da de Nhá Chica e de suas virtudes de santidade. O símbolo devocional foi recepcionado com festa, carreata, missa e bênçãos.

A programação teve início pela manhã na cidade de Baependi, Sul de Minas. Dom José Eudes Campos do Nascimento presidiu a Santa Missa, concelebrada por diversos padres da região. Após a celebração, os fiéis saíram em carreata até o Distrito do Rio das Mortes. No trajeto, manifestações devocionais nas cidades de Minduri, São Vicente de Minas e Madre de Deus de Minas.

A Relíquia da Beata da Beata foi recepcionada na estrada de acesso às Goiabeiras, passando pelo Largo da Cruz e pelas ruas centrais do Distrito do Rio das Mortes até a Igreja Matriz de Santo Antônio. Em seguida, os fiéis puderam participar da Santa Missa Solene no adro da Matriz de Santo Antônio, presidida pelo bispo diocesano, Dom José Eudes. Após a celebração, houve a entronização da Relíquia Ex ossibus no interior da Igreja Matriz de Santo Antônio, ao lado da Pia Batismal.

Nascida em Santo Antônio do Rio das Mortes, distrito de São João del-Rei, a beata foi batizada nessas terras em 1810. Desde que a sua devoção chegou na vida dos moradores de forma mais intensa, no fim do século XX, Nhá chica se tornou um motivo de alegria para o povo da sua terra natal.

Foi em Baependi que a beata viveu grande parte da sua vida e lá dedicou-se a favor dos mais pobres e necessitados e construiu a sua fama de santidade, todavia ela é um exemplo de santidade para todos que conhecem a sua história. Leiga, mulher simples, mas nada disso a impediu de dedicar a sua vida a vivência do Evangelho e de muita oração, em especial uma terna devoção a Imaculada Conceição.

Morreu em 14 de abril de 1895, em Baependi. A sua beatificação aconteceu no dia 04 de maio de 2013 e o seu processo de canonização está no Vaticano sendo analisado pela Congregação dos para as Causas do Santos.

Francisca de Paula de Jesus, a “Mãe dos Pobres” é a primeira analfabeta e filha de escrava a receber o título de beata pela Igreja Católica no Brasil.

Fotos: Willian Carvalho | Santuário Nhá Chica | Pascom Rio das Mortes | Pedro Henrique