Emoção e aplausos marcam sepultamento de padre Fábio Damasceno

Foi com muita emoção, aplausos e palavras de admiração e carinho que amigos, fiéis católicos e religiosos se despediram nesta quinta-feira, 10, do padre Fábio José Damasceno. O sacerdote tinha 56 anos e faleceu vítima de infarto.

Na Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição da Barra de Minas, a igreja esteve repleta – respeitando o distanciamento social – para a celebração da santa missa e demais ritos de exéquias. Dom José Eudes Nascimento, bispo diocesano de São João del-Rei, presidiu a cerimônia que contou com a presença de dezenas de padres, vindos de vários cantos da região, além de autoridades da cidade. A mesma foi decretada luto no período de 72 horas.

Durante a celebração, Dom José Eudes falou sobre a figura do sacerdote e o grande legado que ele deixa para toda a comunidade de fé. Emocionado, o bispo manifestou sua tristeza diante do ocorrido e partilhou que, durante estes 8 anos de bispado, essa é a primeira vez que ele participa do sepultamento de um sacerdote do clero.

“Nos últimos dias vivemos momentos de profunda dor em decorrência da morte repentina de nosso querido irmão, padre Fabio José Damasceno. Como bispo diocesano, desde que aqui cheguei, pude perceber o carinho e o respeito filial que padre Fábio nutria em relação ao bispo e a consideração que ele tinha com os irmãos padres, sobretudo aqueles que ele encaminhou ao seminário. Se por um lado ficamos tristes e mais pobres com a perda deste irmão querido, por outro lado fomos consolados por tanta manifestação de fé e carinho durante esses dias: a carinho do povo para com este sacerdote que deixou uma marca forte, a presença maciça e solidária do clero diocesano, a lembrança de tantos dons que este nosso irmão recebeu de Deus e soube colocá-los a serviço dos irmãos e irmãs. Confesso que me emocionei, mas também fiquei edificado de ver tantos sinais de Deus. Portanto louvo a Deus pela vida e ministério deste nosso irmão, louvo a Deus pela manifestação de solidariedade do clero e o carinho demonstrado por nosso amado povo”, destaca dom José Eudes.

Em meio as orações, muitas lembranças boas e palavras de admiração. “Perdemos nosso querido Padre Fábio e o céu ganhou mais um sacerdote. Para nós padres de Barroso foi uma referência importante e continuará sendo. Sinônimo de alegria, cuidado com os pobres, homem de grande coração, inteligência e palavra fácil. Tinha um sentimento paternal para com os padres de Barroso. Marcou profundamente nossa terra natal. Homem alegre, de presença de espírito, de bom humor. Deixou um legado de construções em Barroso, em nossa Paróquia de Sant’Ana uma marca forte. Amigo querido, devoto de Nossa Senhora da Conceição e São José. Partiu aos pés da Imaculada Conceição, afinal, nasceu sob o manto da Virgem Mãe de Deus. Sua mãe se chamava Conceição”, recordou, em mensagem, o secretário adjunto da CNBB, Padre Dirceu Medeiros, com quem conviveu de forma próxima durante os 30 anos em que o sacerdote trabalhou na cidade de Barroso.

Após a missa, o corpo foi transladado até o Cemitério Nossa Senhora do Rosário. No caminho, chuva de pétalas, musicas e aplausos. Manifestações de carinho, amizade e respeito.

Sobre Padre Fábio damasceno

Nascido em São João del-Rei, padre Fábio viveu e cresceu junto da família na cidade de Conceição da Barra de Minas, onde recebeu o Sacramento da Ordem em outubro de 1988. Mas foi na Paróquia Sant’Ana, da cidade de Barroso, que o sacerdote passou grande parte da sua vida, atuando como vigário e, posteriormente, pároco. Em julho de 2019 foi empossado como novo pároco da cidade de Nazareno.

Bacharel em Direito, atuou como assessor da Pastoral da Juventude e Familiar além de exercer diversos mandatos como Vigário Forâneo e membro do Colégio de Consultores.

26 anos. Natural de São João del-Rei. Secretário de Comunicação da Diocese de São João del-Rei, trabalhando no DEDICOM (Departamento Diocesano de Comunicação). Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).